9 autores para começar a ler literatura hispano-americana

Escritores hispano-americanos e algumas de suas obras que você pode adorar conhecer 

Hispano-americanos

Rica, intensa e cheia de história, a literatura hispano-americana ainda é pouco explorada e difundida nas terras brasileiras, onde o foco do ensino da literatura latino-americana é muitas vezes centrado apenas na literatura brasileira, deixando de lado as literaturas de língua espanhola, que ficam esquecidas no limbo do ensino.

É comum conhecermos uma vastidão de escritores e poetas europeus, mas, quando olhamos para dentro do nosso continente, essa associação é pequena (o mesmo vale para a literatura africana e muitas vezes a asiática também). Os motivos são muitos e essa discussão merece uma atenção especial, em um outro momento, porque hoje trouxemos uma lista (que não está em ordem de preferência e/ou qualidade) de escritores dos países americanos de língua espanhola para que você, que ainda não mergulhou neste mundo possa fazer isso agora!

 

1 – Jorge Luis Borges

Borges nasceu em 1899 e morreu em 1986. Foi escritor, poeta, tradutor, crítico e ensaísta. Apesar de ter nascido na Argentina, viveu parte da vida na Europa. Ele volta pra Argentina apenas em 1921, onde atuou como professor universitário e bibliotecário. Borges teve sua obra traduzida para diversos países e línguas.

Obras: Nove ensaios dantescos e A memória de Shakespeare; Ficções; Aleph; O livro de areia. 

 

2 – Julio Cortázar

Cortázar nasceu em 1914, em Ixelles (Bruxelas), na embaixada argentina. Ele veio ao país com três anos, porém em 1951 parte pra França por não concordar com a ditadura argentina. Considerado um dos mais inovadores e originais de seu tempo, é chamado de mestre do conto curto e da prosa poética. Morreu em 1984, em Paris.

Obras: O Jogo da Amarelinha; Um Tal Lucas; O Exame Final; 62 modelo para Amar.

 

3 – Adolfo Bioy Casares

Mais um argentino (também nascido em 1914, viveu até 1999). Bioy é conhecido por criar um mundo de ambientes fantásticos onde a lógica é marcada pelo realismo. Teve também participações nas obras de Borges.

Obras: A invenção de Morel; Plano de Fuga; História Prodigiosa. 

 

4- Gabriel García Márquez

Talvez um dos mais conhecido da lista, quiçá mais divulgado nas terras tupiniquins. Colombiano, morreu em abril de 2014. É considerado um dos autores mais importantes do século XX. Ganhou diversos prêmios e, em 1982, foi premiado com o Nobel de Literatura. Seus livros refletiam muito sobre a política latino-americana, e ganharam repercussão na Europa.

Obras: Memórias de minhas putas tristes; Cem anos de solidãoO amor nos tempos da cólera; Crônicas de uma morte anunciada.

 

5 – Pablo Neruda

Suas poesias são relativamente conhecidas no Brasil. Neruda é pseudônimo (que se tornou oficial posteriormente) de Ricardo Eliécer Neftalí Reyes Basoalto. Ele nasceu e morreu no Chile (1904-1973). Ganhou o prêmio Nobel em 1971. Foi diplomata, porém foi destituído um tempo depois, quando escreveu Espanha no Coração.

Obras: Espanha no Coração; Vinte Poemas de Amor; Cem Sonetos de Amor; O Mar e os Sinos.

 

6 – Isabel Allende

Hoje Isabel vive nos EUA, mas nasceu em Lima e morou no Chile com a família. É considera uma das principais revelações da literatura latino-americana da década de 80.

Obras: A casa dos Espíritos; A Lagoa Azul; Cartas a Paula; O amante Japonês.

 

7 – Mario Vargas Lhosa

Outro peruano, nascido em 1936, Lhosa é além de escritor, jornalista, ensaísta e político. Também vencedor do prêmio Nobel (em 2010). Com uma obra repleta de críticas sociais, traz também muitos livros autobiográficos. Em 2006 publicou um guia para os jovens escritores: Cartas a um jovem Romancista.

Obras: Cinco Esquinas; Travessuras de uma menina má; Elogio da Madrasta; O Sonho do Celta.

 

8 – Juan Rulfo

Rulfo é mexicano; nascido em 1917, morreu em 1986. Só teve 2 obras publicadas em vida: Pedro Páramo (um dos mais influentes romances da literatura hispano-americana) e Chão em Chamas. Porém, sua influência é vista em vários outros escritores e é considerado o principal precursor do realismo mágico latino-americano (movimento de que García Márquez, Borges e Cortázar também participaram, admiradores da obra de Rulfo).

Obras: Pedro Páramo.

 

9 – Roberto Bolaño

Não se engane, não estamos falando de Roberto Bolaños (o Chaves). Ouvi essa mais de uma vez na vida. Bolaño nasceu no Chile em 1953 e morreu na Espanha em 2003. Apesar de se considerar poeta, sua obra é vasta e conhecida principalmente pelos romances e contos. Sua obra 2666 foi publicada postumamente e é considerada sua obra máxima.

Obras: 2666; Noturno no Chile; Amuleto e Os Detetives Selvagens; O Espírito da Ficção Científica.

Dayane Manfrere Author

Comunicóloga como primeira formação se aventura agora no mundo das Letras. Colunista e revisora no Homo Literatus (as vezes também traduz). Escreve seus pensamentos no Enquanto a Chuva Caí e tem uns contos publicados por aí. Uma Shakespeareana sem cura, que ama Poe, Wilde e Tchekhov.