Carla Bessa

Carla Bessa
Nome
Carla Bessa
Bio
Carla Bessa / Niterói, RJ - Berlim. Estudei teatro na UNIRIO e na Casa de Artes de Laranjeiras, no Rio de Janeiro. Depois, coloquei o pé na estrada e vim parar na Alemanha. Trabalhei 15 anos em teatros alemães, austríacos e suíços como atriz e diretora. Os ventos mudaram e eu com eles. Atualmente trabalho como tradutora literária alemão-português para as editoras brasileiras WMF Martins Fontes e Estação Liberdade. Escrevo resenhas e contos. O meu conto “Toc” foi publicado na antologia bilíngue “Sehnsucht ist ein verdorbenes Wort / Saudade é uma palavra estragada” em 2016 pela editora bübül de Berlim.
Twitter
Facebook
Medium

Recent Post byCarla Bessa

A loucura dos outros, de Nara Vidal, questiona a nossa frágil normalidade

É impossível pensar a loucura sem refletir sobre o nosso conceito de normalidade É impossível pensar a loucura sem refletir sobre o nosso conceito de normalidade. No mais tardar desde Foucault sabemos que a loucura “só existe em uma sociedade, ela não existe fora das normas da sensibilidade que a isolam e das formas de […]

O anseio humano de fazer do desfecho um recomeço: “Os lados do Círculo”, Contos de Amílcar Bettega Barbosa

O livro-círculo se fecha onde se inicia – ou recomeça ou acaba   Os lados do Círculo, de Amílcar Bettega Barbosa, é um livro curto, mas que, pela sua densidade, impõe uma leitura lenta, atenta. O arranjo dos contos no todo segue o princípio geométrico circular já proposto no título. Tudo começa onde irá acabar, […]

A estratigrafia das relações humanas: ações compensatórias e rotas de fuga. Sobre o romance “Como se estivéssemos em palimpsesto de putas”, de Elvira Vigna.

Por Carla Bessa Segundo a própria autora, esse seu novo e décimo romance versa sobre variantes de relações interpessoais. Mas há também quem afirme que seja um livro sobre amor e prostituição e ainda outros veem nele um palimpsesto onde a prostituição se inscreve sobre as relações amorosas. Já eu entrevejo ali outras arestas, ou, […]

Inventariando nossas imperfeições: o livro “Brochadas – Confissões sexuais de um jovem escritor”, de Jacques Fux

Em tempos de facebook e twitter, ler Brochadas, de Jacques Fux, nos traz de volta à realidade A sensação que se tem ao terminar a leitura de Brochadas, de Jacques Fux, é de apaziguamento e reconciliação com os próprios fantasmas. Enfim, uma apologia ao fiasco. Uma ode ao fracasso. A ousadia desse autor é um alívio. […]

A inatingibilidade do outro: 'Paisagem de porcelana', de Claudia Nina

Entre a realidade e o delírio, a memória e a ficção, o livro de Claudia Nina guia o leitor pela tênue linha que separa o sentimento de exclusão e a certeza apavorante de não se encaixar em nenhum mundo Paisagem de porcelana, de Claudia Nina, é um livro delirante. No sentido literal da palavra. O leitor se […]

A composição das 'Mentiras' e do fazer literário

Mentiras é um livro sobre relatos, retratos, ficções e outras mentiras Mentiras é, a um só tempo, um livro sobre relações e uma (re)flexão dessas relações através do instrumental do relato. Ao esboçar inúmeras variações de um encontro amoroso com o único intuito de colher material para sua escrita, o autor (que se dilui na figura do […]