Giselle Lourenço

Giselle Lourenço
Nome
Giselle Lourenço
Bio
Giselle Lourenço é professora de Língua Portuguesa e Literatura, revisora de textos e teóloga. É também finalista do Prêmio Sesc de Literatura 2015 - categoria crônicas. Alimenta um canal no Youtube com resenhas de obras literárias, uma página no Facebook com dicas de Língua Portuguesa e um blog com alguns de seus textos, todas essas mídias com o mesmo nome: Tao da Letra.
Twitter
Facebook
Medium

Recent Post byGiselle Lourenço

O lugar da crônica na Literatura e a formação de novos leitores

Será a crônica na literatura uma porta de entrada para novos leitores? E onde estão sendo formados estes novos leitores? Vamos falar um pouco sobre o lugar da crônica na Literatura. Há quem diga que crônica não é um gênero literário. Outros dizem que a crônica é uma forma inferior de escrita, por onde um […]

O feminino em “Mulheres de Cinza”, de Mia Couto

Após ler Mulheres de cinzas, primeiro livro da trilogia “As areias do imperador”, de Mia Couto, é possível definir o fazer literário do autor com uma palavra: fronteiras Fronteiras é o termo que melhor define a maestria indefinível desse tecelão de fios historiados. A retratação das fronteiras que Mia Couto faz emergir em suas obras sugerem sempre a […]

Preferencialmente, uivos!

Não sei em terras lusitanas, mas, no Brasil, todos já sabem que agosto é o mês do cachorro louco. Uivava a cachorra de Dóris, louca que não estava, no cio talvez. Mas a cachorra, coitada, dessa história é a fração milloriana mais ordinária. Deixemo-la. Dóris tomou o café, saiu mais cedo que o horário habitual […]

Depois do fim – um novo autor machadiano

O romance Depois do fim, de Alex Bezerra de Menezes (Simonsen, 2016), revela as mazelas de uma gente brasileira que conhecemos muito bem e que somos todos nós. Ele é especialista em Machado de Assis e também na biografia de Alexandre, o Grande. Publicou o primeiro livro em 2005 e acaba de lançar seu mais novo romance. […]

Memorial do convento, de José Saramago: a desconstrução teológica de Saramago e o fundamentalismo religioso

Um ensaio sobre Memorial do Convento, de José Saramago O autor refaz, sob uma crítica ao fanatismo religioso e ao absolutismo monárquico, a história da construção do Palácio de Mafra, Portugal. Mais precisamente, no ano de 1711 tem início a construção do convento que abrigaria, inicialmente, um modesto número de frades franciscanos, em razão de uma […]