Enquanto Agonizo, o livro que merece ser lido sempre

0
2331

O que leva esse romance escrito de 1930 ainda ser tão lido e admirado ainda hoje?

Faulkner

Faulkner foi capaz de recriar o sul americano em toda sua decadência – mostrando as implicações da Guerra de Secessão – e de mostrar uma vasta amostra da condição humana a partir de uma matéria simples. O que mais impressiona não é o poder do autor ao manipular as múltiplas e contrastantes vozes dos personagens ao longo da narrativa e sim a capacidade poética de rememoração, capaz de prender o leitor linha após linha e nos levar até o grande desfecho.

Provavelmente, Harold Bloom tenha sido quem melhor definiu a obra e sua força:

De todos os romances americanos do século XX, o que tem o começo mais brilhante é Enquanto Agonizo… o começo pressagia a originalidade do livro que mais surpreende de seu autor.

Mas vamos a trama.

Enquanto Agonizo – título retirado de Odisséia, de Homero – começa com o fim trágico da matriarca da família Bundren. Sabemos desde as primeiras palavras que ele morrerá, inclusive ela própria. Contudo, antes de falecer, ela tem um último pedido: quer ser enterrada em Jefferson, sua terra natal, ao lado dos seus parentes. A partir daí temos uma sucessão de fatos que prendem o leitor a cada página e que também o intriga, pois cada capítulo é narrado por um personagem diferente, levando-nos a encontrar vários pontos de conflito no enredo. De Vardaman, o filho mais novo (autor do capítulo mais interessante do livro, no qual se resumo as seguintes palavras: Minha mãe é um peixe), a Cash, o mais velho, seguimos a peregrinação dos Bundren até Jefferson e todos os conflitos gerados pelo caminho.

As múltiplas vozes – que incluem até os mortos – tecem uma rica teia narrativa onde nenhuma palavra parece estar posta à toa. Cada personagem tem uma voz própria, indo do conciso ao eloqüente, nos apresentando os tipos mais variados e caracterizando o mundo dos brancos pobres em meio às terras sulinas e racistas no fictício condado de Yoknapatawpha.

Todos os sentimentos humanos são escavados e dissecados durante a travessia do condado até Jefferson, apresentando ao leitor a agonia de um sistema falido – e apontando que provavelmente nenhuma daquelas pessoas é inocente em meio a tudo que se passa com eles, nem a morta.

É complicado definir um romance tão forte e decisivo como este. Enquanto Agonizo se mostra um livro capaz de atravessar um século inteiro sem perder em nada seu valor estético e transcendente.