Precisamos falar sobre booktubers

Você já pensou no alcance e na influência de um booktuber? No que ele pode estar mudando no mercado editorial e no nosso jeito de ler?

Se você faz pesquisas sobre livros na internet, provavelmente já chegou até algum vídeo e o assistiu. Hoje, plataformas como o youtube são repletas canais e vídeos sobre livros, seja sobre resenhas, unboxing de produtos literários, críticas, exibição de seus livros ou indicações. Ou até mesmo um mix de tudo isso.

Esses canais são ministrados por uma pessoa ou um grupo delas, e ganharam o nome de Booktubers (uma junção de book com youtuber) e tem por objetivo resenhar, discutir ou divulgar livros.

A internet deu voz e poder a muita gente e abriu caminho para pessoas que talvez não tivessem uma chance nos meios “tradicionais”, mas que são dotadas de um talento incrível e conseguiram deslanchar sua carreira na internet.

Quando o boom desses canais literários aconteceu, muita crítica surgiu também. Os pontos começaram com o fato de que ao contrário de jornalistas especializados, responsáveis por críticas em jornais ou revistas, os booktubers não tinham o conhecimento técnico pra criticar livros. Mas é isso mesmo? Não necessariamente. Com a livre possibilidade de se criar um canal e sair fazendo vídeo do que quiser, é claro que existem pessoas que nem sempre tem um conteúdo relevante, fora a propagação de informações que nem sempre são verdade. Entretanto, há uma lista muito boa de canais feitos por pessoas especializadas e também por pessoas não especialistas da área, mas que carregam uma boa bagagem de resenhas e conhecimento. Como toda pesquisa, precisamos ter cuidado, mas pode-se adquirir muita coisa boa. Ser um especialista da área não é fator decisivo para poder opinar sobre algo, até porque a vontade de fazer acontecer faz muita gente que não se especializou formalmente em algo possa ir atrás do conhecimento. A internet tá aí pra isso também: busca de informação.

Outro ponto que percorreu o mercado literário foi a disposição das editoras em dar aos booktubers livros para serem resenhados. Tem gente que acha o cúmulo, mas até onde é cúmulo? No mercado publicitário, essa é uma prática que se tornou comum, alguém relevante com seguidores que são potenciais consumidores usar seu produto e depois fazer uma resenha dele. As editoras gastam quase nada com esses livros dados a blogueiros e booktubers e, apesar de tudo, muita gente conhece os títulos através disso. Vale lembrar também que a grande maioria dos booktubers compra muito livro, os vídeos das prateleiras e compras estão lá pra provar que eles não vivem só dos livros das editoras. Pelo contrário.

Por falar em blogueiros, os booktubers são derivação do formato de escrita para vídeo, que existem há bastante tempo no mundo digital. Muitos deles, inclusive, ainda usam seus blogs para escrever sobre literatura e complementam com o vídeo. A real da situação é: a moda agora é vídeo.

O mundo tem mudado, e o mercado literário também. Estar atento ao que as editoras publicam nem sempre é fácil. Além disso, os espaços mais tradicionais têm cada vez menos falado de literatura. A internet abriu um espaço novo, muito maior do que o antigo para quem gosta de literatura.

Trouxe então nessa matéria alguns bons exemplos de canais com conteúdo relevante e boas análises, com conteúdo literário muito rico.

Tiny Little Things

Vevsvaladares

Literatus TV

Cabine Literária

Ler antes de morrer

Stela Aquino

Nuvem Literária

Literature se

Little doll house

Litera Tamy

O espaço no youtube abriu uma porta para a troca de experiências, divulgação e muito acesso à literatura. Nós do HL somos parte disso também.

Dayane Manfrere Autor

Comunicóloga como primeira formação se aventura agora no mundo das Letras. Colunista e revisora no Homo Literatus (as vezes também traduz). Escreve seus pensamentos no Enquanto a Chuva Caí e tem uns contos publicados por aí. Uma Shakespeareana sem cura, que ama Poe, Wilde e Tchekhov.