Tag: literatura brasileira contemporânea

André Timm comenta sobre o livro “Modos inacabados de morrer”

O Homo Literatus esteve no lançamento do romance “Modos inacabados de morrer” (Editora Oito e Meio), vencedor do Prêmio Maratona Literária, e conversou com o autor André Timm sobre o…

Sexo com golfinho ou ‘Um gato chamado Borges’, de Vilto Reis

Você já devia ter lido Um gato chamado Borges. Se ainda não leu, aqui vão uns bons motivos Várias coisas vão te deixar confuso e te divertir durante a leitura do…

Qorpo-Santo e Cães da Província, de Assis Brasil

Conheça Cães da Província, romance de Luiz Antônio de Assis Brasil e o intrigante personagem real Qorpo-Santo Cães da Província, de Luiz Antonio de Assis Brasil, lançado em 1987, conta a…

30:MIN #158 – A Redenção do Anjo Caído – Fabio Baptista

Sejam bem-vindos, leitores e leitoras ao 30:MIN, sua meia hora alucinógena de literatura. Nesta edição, Vilto Reis, Jefferson Figueiredo e Cecília Garcia Marcon se juntam para falar e debater o…

Revista Pulp Fiction lança sua 4ª edição

A Revista Pulp Fiction lança seu segundo número com contos de Alfred Hitchcock Assim chegamos a mais uma edição de uma revista de contos que surgiu como uma ideia sem pretensões. Muita…

Homens duros e seus infernos particulares: Carvão Animal, de Ana Paula Maia

O romance  de Ana Paula Maia promove algumas das principais funções da literatura: o autoconhecimento e a investigação do caráter do ser humano Carvão animal, de Ana Paula Maia, é um…

Inventariando nossas imperfeições: o livro “Brochadas – Confissões sexuais de um jovem escritor”, de Jacques Fux

Em tempos de facebook e twitter, ler Brochadas, de Jacques Fux, nos traz de volta à realidade A sensação que se tem ao terminar a leitura de Brochadas, de Jacques Fux,…

Coletânea “Cobain” celebra os 25 anos do álbum “Nevermind”

E-book traz contos inspirados em canções do Nirvana e está disponível para download gratuito Eleito um dos melhores álbuns de todos os tempos, Nevermind, do Nirvana, completa 25 anos neste…

Do título ao final, “Cada amanhecer me dá um soco”, de Andrei Ribas, é um acerto

Por que ler Cada amanhecer me dá um soco, de Andrei Ribas Com controle da forma e enredo bem amarrado, o autor entrega um livro resultado do trabalho apurado e íntimo com…

Depois do fim – um novo autor machadiano

O romance Depois do fim, de Alex Bezerra de Menezes (Simonsen, 2016), revela as mazelas de uma gente brasileira que conhecemos muito bem e que somos todos nós. Ele é especialista em…

@homoliteratus on Instagram