Noturno sem música ou o Werther pernambucano de Gilvan Lemos  

Um Werther pernambucano anulado na melodia cotidiana Quando Goethe pôs o ponto final nos Sofrimentos do seu jovem Werther, a arma não tinha falhado, muito menos a direção do projétil e, como Kafka faria mais tarde, toda dor humana somente pôde ser vertida pela completa e irrevogável aniquilação do sujeito. Pode-se dizer que Werther se […]