Noturno sem música ou o Werther pernambucano de Gilvan Lemos  

Um Werther pernambucano anulado na melodia cotidiana Quando Goethe pôs o ponto final nos Sofrimentos do seu jovem Werther, a arma não tinha falhado, muito menos a direção do projétil e, como Kafka faria mais tarde, toda dor humana somente pôde ser vertida pela completa e irrevogável aniquilação do sujeito. Pode-se dizer que Werther se […]

5 livros velhos que todo mundo deveria ler

Uma lista com cinco livros um tanto quanto gastos, mas que ainda podem te divertir, comover e/ou fazer refletir. Há quem diga que um livro velho não tenha seu valor: é chato, fedido, sem graça. Outros ainda acham que suas histórias são distante demais, cheiram a coisa do passado. Para provar a estes que estão […]

A maldição goethiana: a maior onda de suicídios em massa da história da literatura

Minha alma inunda-se de uma serenidade maravilhosa, harmonizando-se com a das doces manhãs primaveris que procuro fruir com todas as minhas forças. Estou só e abandono-me à alegria de viver nesta região criada para as almas iguais à minha. Sou tão feliz, meu amigo, e de tal modo mergulhado no tranquilo sentimento da minha própria […]