Paulina Chiziane: uma voz feminina em África

Com o seu primeiro livro, Balada de Amor ao Vento, a escritora Paulina Chiziane foi a primeira mulher moçambicana a publicar um romance Embora haja, atualmente, nomes de grande relevância protagonizando a literatura africana em língua portuguesa, ainda não é expressiva sua difusão em nosso país. Assim, é fundamental que tanto a leitura quanto o […]

rabudinha

Rabudinhas e despudoradas: as mulheres de Giovana Madalosso

Rabudinhas, despudoradas e sobreviventes de tudo, as mulheres das ficções de Giovana Madalosso despertam várias interpretações As mulheres ficcionais da Giovana Madalosso são umas rabudinhas. Seus dois livros evidenciam isso: da seleta de contos A Teta Racional, publicada pela Grua em 2015, ao romance Tudo pode ser Roubado, publicado esse ano pela Todavia. Elas sobrevivem […]

Brutalidade em transição – Enterre seus Mortos, de Ana Paula Maia

Enterre seus Mortos mantém a unidade da voz autoral de Ana Pala Maia, e adiciona elementos à brutalidade que se tornou parte de sua produção Brutalidade é uma palavra fácil de associar à produção literária de Ana Paula Maia. Seus personagens são brutalizados pelo que os cerca, dos ofícios extenuantes às histórias pessoais de cada […]

Considerações sobre romance e realidade

Qual é o comprometimento do romance com a realidade? Esse gênero literário reproduz e transporta a realidade para ficção? O romance busca capturar a realidade, mimetizá-la. Tal reprodução, no entanto, não necessariamente deve ser fidelíssima ao que se observa no plano real: pode-se dizer que o romance tenta apreender a realidade e transportá-la, transportar seus […]

Germinal, de Émile Zola: uns toques históricos e apreciações estéticas

Germinal, livro de Émile Zola construído a partir de criação ficcional e análise de campo, é analisado em seu recorte, seus acertos e enganos  Em 1885, o francês Émile Zola (1840-1902) lançou o romance naturalista Germinal, depois de um esforço gigantesco para sua elaboração. A obra relata a realidade de uma fração específica da classe […]

A Fórmula preferida do Professor, onde a matemática é uma ponte

A Fórmula preferida do Professor, romance de Yoko Ogawa, mostra como solucionar uma fórmula para se relacionar com o mundo   E se o seu vínculo com o mundo se resumisse a uma fórmula? A matemática é o que sobra e ela sustenta uma raiz. Ninguém faz ideia de que tipo de planta essa raiz […]

Oculto, pero no mucho – As Perguntas, terceiro romance de Antônio Xerxenesky

O terceiro romance de Antônio Xerxenesky é sobre aquilo que não conhecemos. Ou que fingimos desconhecer e mesmo assim sabemos que existe, entendem? Como diz o ditado de quem não crê nas bruxas, mas, vocês sabem. As perguntas trata do mundo invisível que nos rodeia, o qual, diante da tecnologia, a busca incessante pelo dinheiro […]

José Saramago: um ranking do pior ao melhor romance

Uma lista sobre José Saramago, escritor português ganhador do prêmio Nobel, falecido em 2010, avaliando seus romances do pior ao melhor José Saramago, ganhador do único Nobel de Literatura em língua portuguesa, tem uma obra vasta e importante. No entanto, ao comentá-la, o gênero mais lembrado e celebrado, com certeza, é o romance. Autor de […]

Mrs. Dalloway, a obra-prima do trivial

O fluxo de consciência escondido no “trivial” Mrs. Dalloway Nascida em Londres, Inglaterra, no ano de 1882, a escritora Virginia Adeline Stephen Woolf tem entre suas mais importantes obras o romance Mrs. Dalloway, que veio a público em 1925. A história se desenrola num dia do verão londrino de 1923. De início, o leitor é […]

Noturno sem música ou o Werther pernambucano de Gilvan Lemos  

Um Werther pernambucano anulado na melodia cotidiana Quando Goethe pôs o ponto final nos Sofrimentos do seu jovem Werther, a arma não tinha falhado, muito menos a direção do projétil e, como Kafka faria mais tarde, toda dor humana somente pôde ser vertida pela completa e irrevogável aniquilação do sujeito. Pode-se dizer que Werther se […]