Viver é muito perigoso, e ainda bem

Para Riobaldo, de Grande sertão: veredas, viver é muito perigoso, porque ainda não se sabe e porque aprender a viver é que é o viver mesmo No romance Grande sertão: veredas, de Guimarães Rosa, o narrador-personagem Riobaldo se conta a seu modo, “a meio, por em dobro não contar”, indo e voltando na história com “tudo turbilindo”. Uma […]

Poesias Pensadas: A arte de viver – Cláudia de Villar

A música já cantava ou já dizia ou já falava ou já sorria: “(…) Viver e não ter a vergonha de ser feliz (…)” A arte de viver A arte de viver com arte A vida que corre e escorre A vida como um esporte A vida com sorte A vida antes da morte A […]