Ultra Carnem, de Cesar Bravo: uma perspectiva do Inferno

O sangue é o pano de fundo para mostrar até onde cada ser humano pode chegar

Cesar Bravo/ divulgação

A guerra entre o Céu e o Inferno ganha um novo significado quando as obras de arte de um menino cigano começam a vir à tona. Wladimir Lester, abandonado no pequeno orfanato da cidade de Três Rios quando ainda aparentava 12 anos, carrega segredos obscuros, capazes de mudar vida de homens e mulheres para sempre, despertando interesses muito além da compreensão de qualquer ser humano. Após um grave incidente, o menino desaparece, mas sua lenda sobrevive, suas obras atravessam os tempos e despertam a ganância de pessoas desesperadas e desiludidas com a própria existência.

Assim começa Ultra Carnem, obra de Cesar Bravo, escritor que tem ganhado destaque no cenário de terror nacional. Seu novo livro, lançado pela DarkSide Books, insere o leitor em uma atmosfera macabra desde a capa e consegue causar calafrios a cada uma das ilustrações que precedem os capítulos. Mais um belo trabalho concluído pela editora, de forma a realmente agradar aos leitores do gênero.

Voltando à história, anos após o sumiço de Lester, a busca inconsequente pelas obras que produziu (capazes de controlar e aprisionar almas) e, sobretudo, pela tinta que utilizava para pintar esses quadros continuou. Nôa D’Nor, um artista plástico ambicioso, Marcos Cantão, um técnico de informática fracassado, e Lucrécia Trindade, uma garçonete que fora abusada desde a infância, são alguns dos que pagam o alto e sangrento preço por obterem vantagens por meio do mal advindo das obras do menino cigano.

Ultra Carnem é permeado de misticismo, de aparições demoníacas e da presença do próprio Príncipe do Inferno, Lúcifer, que interfere na história dos homens com violência e sarcasmo. É interessante notar que a maior parte do livro ocorre sobre a perspectiva de pessoas e entidades ligadas ou favoráveis ao Diabo, seja por conta de suas ambições ou em razão do sentimento de desforra

foto: Darkside

pelos sofrimentos que tiveram em suas vidas. Assim, Cesar Bravo explora os mais vis desejos humanos e os ilustra sem meias palavras ao longo das quase 400 páginas do livro. O sangue se torna o pano de fundo para mostrar até onde cada um dos personagens pode chegar.

Cerque-se de sua fé (seja ela qual ou em quem for) e prepare-se para enfrentar essa história sinistra. Mas saiba:

“Não é segredo que o brinquedinho preferido da inteligência celestial é o homem. Um macaco razoavelmente inteligente, sem ofensas, dotado de uma alma, com capacidade de aprendizado e evolução praticamente ilimitados. Queríamos ofender a criação, entendeu? Mas os séculos e a própria evolução humana nos obrigaram a rever conceitos.” (p. 330)

Frank Neres Author

Formado em jornalismo e pós-graduado em Português - Língua e Literatura. Autor do livro de contos "Mundo sem fim" (Clube de Autores). Vive em São Paulo.