10 escritores que deveriam ter suas frases compartilhadas nas redes sociais

0
855

escritores-nas-redes-sociais

Eu não lembro, em momento algum, de ter adicionado a Lispector no Facebook. Nem de ter começado a seguir Caio F. Abreu no Twitter. De vez em quando, no Instagram, me aparece um poema do Leminski.

Para uns, essa disseminação virtual de trechos de grandes escritores, poetas, nada mais é que a redução, e banalização, da totalidade de suas obras. Talvez Bukowski mudasse de ideia e passasse a considerar a internet, e não mais o amor, um cão dos diabos, se perguntasse a alguém sobre sua obra e respondessem: acompanhei umas frases pelo Tumblr, curti!

Mas a verdade é que, de alguma forma, mínima ainda, a boa Literatura está, finalmente, sendo compartilhada em grande escala. E despertando interesse! Compartilhar é, por definição, dividir, repartir. E, de uns tempos pra cá: ressignificar. Estamos ressignificando e reinventando as maneiras de compartir e instigar boas leituras.

Foi pensando nisso, e percebendo que já está na hora de ver outras figuras navegando por aí, que reuni uma lista de 10 escritores que, na minha opinião, deveriam ter suas frases compartilhadas nas redes sociais. Vale a pena dar uma chance, isto é, se sua alma for grande. Afinal, é como disse Pessoa, agora no meu feed de notícias, “Tudo vale a pena. Se a alma não é pequena”.

10. Sergio Keuchgerian
Paulista, trabalhou com moda, fotografia e documentação de espetáculos teatrais. Hoje é advogado e tem três livros publicados.

“Nada mais desumano que a passagem do tempo” – do livro Contos Indiscretos.

9. Denise Stoklos
De Irati, no Paraná, é autora, atriz e diretora. Dentre suas produções estão peças, músicas, fotografias, manifestos e sete livros publicados independentemente.

“Como se viam sempre a sós a impressão que ficava era de extrema exclusão. Ninguém mais nada mais poderia tirar do centro suas convergências em si” – Amanhã será tarde e depois de amanhã nem existe.

8. Max Blecher
Natural da Romênia, onde foi um dos líderes do modernismo, passou anos de sua vida internado e morreu em 1938, aos 29 anos, antes de conseguir finalizar o curso de medicina. Teve três livros publicados: Acontecimentos na irrealidade imediata, Corpo transparente e Corações cicatrizados.

“Em torno de mim jaziam poltronas tortas, vigas empoeiradas e objetos abandonados: era justamente o lugar comum a todos os meus sonhos” – Acontecimentos na irrealidade imediata.

7. Patrícia Reis
É uma editora de revista, jornalista e escritora portuguesa. Tem dezoito de seus trabalhos publicados, desde livros infantis, passando por romances, até biografias.

“Na minha casa, quando o tempo passar, não haverá espelhos. A minha imagem não viverá e eu, por fim, respirarei só por mim” – Amor em segunda mão.

6. Péter Esterházy
É um dos mais importantes escritores húngaros contemporâneos. Tem mais de trinta livros publicados e ganhou cerca de vinte prêmios literários.

“Há uma mulher. Sente por mim o que eu sinto por ela, me odeia, me ama. Quando ela me odeia eu a amo, quando ela me ama, eu a odeio. Não existe outra possibilidade” – Uma mulher.

5. Héctor Abad
Colombiano, sua formação é das mais variadas, deu início ao curso medicina, de filosofia, de jornalismo, mas acabou se formando em Letras. Hoje é jornalista, escritor, editor, tradutor e conta com doze livros publicados.

“Viva sua tristeza, apalpe-a, desfolhe-a em seus olhos, molhe-a com lágrimas, envolva-a em gritos ou em silêncio, copie-a em cadernos, grave-a em seu corpo, nos poros de sua pele” – Livro de receitas para mulheres tristes.

4. Janet Fitch
Escritora americana, tem três livros publicados. Um deles deu origem ao filme Deixe-me viver com Michelle Pfeiffer.

“Não guarde o passado, Astrid. Não se prenda a nada. Queime-o”. O artista é a fênix que se incendeia para renascer” – Flores Brancas de Oleandro.

3. Wisława Szymborska
Falecida em 2012, era uma poeta, ensaísta e tradutora polonesa. Em 1996, ganhou o prêmio Nobel de Literatura.

“Anseios de felicidade/ anseios de verdade/ anseios de eternidade, olhem só!” –  Poemas.

2. Lourenço Mutarelli
Escritor, artista gráfico, roteirista e ator paulista, já se arriscou em aparições no cinema e no teatro. Publicou diversos quadrinhos e livros ilustrados, uma peça de teatro e seis romances, sendo que dois deles, O Cheiro do Ralo e O Natimorto, foram adaptados para o cinema.

“Quanto mais eu me protejo, mais eu me firo. Quanto maior a doçura, mais forte é o enjoo” – O Natimorto.

1. Marilene Felinto
Nascida em Pernambuco, formada em Letras, é escritora, tradutora e jornalista feminista. Ganhou um Prêmio Jabuti por seu primeiro romance, As mulheres de Tijucopapo, e tem outros quatro livros publicados.

“Não digo que fiz mal. Me fez mal. Isso sim. Me fez mal. Porque parece que várias vezes na vida desconto com ódio o amor que me oferecem” – As mulheres de Tijucopapo.

Caso tenha alguma indicação a fazer, é só deixar nos comentários.