10 Títulos Incríveis de Livros

0
1795

Dizem os “especialistas” que, para vender, um livro tem de ter uma capa atraente, com cores fortes e imagens que cause impacto. Não vou negar que alguns elementos (acabamento, costura, capa, qualidade do papel) reunidos num livro engrandecem a compra e nos enche de orgulho por tê-lo na estante, mas o que me chama mesmo a atenção e funciona como curiosidade para ler/comprar um livro é a originalidade do título.
Fiz uma seleção de dez títulos incríveis, entre nacionais e internacionais. Cabe ressaltar que nessa micro-coletânea entraram apenas os livros que já li, ficando o espaço aberto para que cada um cite os seus preferidos.

1 – Queda da Própria Altura, de Sérgio Tavares (vencedor do Prêmio Sesc de Literatura na categoria “conto” com o livro “Cavala”) – Segundo livro do escritor e jornalista Sérgio Tavares, “Queda da própria altura” procura jogar o leitor em um fluxo de imagens e de palavras, de onde brota uma história poética, embalada por fortes sonhos e desejos incontroláveis. Possuidor de uma escrita que hipnotiza, esse livro foi, pra mim, uma das maiores surpresas nesse ano. Imperdível a leitura!

A passagem tensa dos corpos (Companhia das Letras, 2009)
A passagem tensa dos corpos (Companhia das Letras, 2009)

2 – A Passagem Tensa dos Corpos, de Carlos de Brito e Mello (livro finalista dos prêmios São Paulo, Jabuti e Portugal Telecom em 2010) – Construído de 156 capítulos curtos, A passagem tensa dos corpos trata da morte. O narrador-personagem não é visto nem percebido por ninguém. Sua principal ocupação é percorrer cidades e registrar as mortes que encontra pelo caminho. Se a civilização se ergue sobre uma pilha de cadáveres soterrados, também a vida de cada um precisa da morte para se constituir. O narrador aos poucos se dá conta de que para existir de fato, necessita, ele mesmo, se apropriar de um dos corpos que registra.

3 – o filho de mil homens, de Valter Hugo Mãe (vencedor do prêmio José Saramago em 2007 com o romance “o remorso de baltazar serapião”) – Com vontade imensa de ser pai, o pescador Crisóstomo, um homem de quarenta anos, conhece o órfão Camilo, que um dia aparece em sua traineira. Ao redor dos dois, outros personagens testemunham a invenção e construção de uma família em vinte capítulos. Valter Hugo Mãe, ao falar de uma aldeia rural e dos sonhos anulados de quem vive nela, atravessa temas como solidão, preconceitos, vontades reprimidas, amor e compaixão.

4 – Outras Vidas Que Não a Minha, de Emmanuel Carrère – Afetado pela devastação do tsunami no Sri Lanka, o autor acompanha a jornada de um casal francês que perdeu sua filha de 4 anos. E, de volta à França, ao tentar retomar o cotidiano, ele se depara mais uma vez com a morte – uma mãe jovem, com três filhas pequenas, perde gradualmente a batalha contra o câncer.

5 – Terra de Casas Vazias, de André de Leones (vencedor do Prêmio Sesc de Literatura na categoria romance com o livro Hoje está um dia morto) – André de Leones exercita, em Terra de casas vazias, sua habilidade para construir personagens densos, assustadoramente contemporâneos, conjugando uma escrita ágil a um lirismo todo peculiar.

A Tristeza Extraordinária do Leopardo-Das-Neves (Companhia das Letras, 2013)
A Tristeza Extraordinária do Leopardo-Das-Neves (Companhia das Letras, 2013)

6 – A Tristeza Extraordinária do Leopardo-Das-Neves, de Joca Reiners Terron – Num velho casarão do Bom Retiro, bairro tradicional de São Paulo, uma enfermeira especializada em pacientes terminais atende a uma criança de hábitos noturnos. A criatura, como a própria enfermeira a batizou, não fala uma palavra e jamais sai de casa. Também não recebe visitas e o único contato com o mundo exterior é uma grande janela que dá para a rua. O contrato estipula que a enfermeira nunca deixe o casarão.

7 – Morangos Mofados, de Caio Fernando Abreu – A busca, a dor, o fracasso, o encontro, o amor e a esperança (elementos que delinearam toda a obra de Caio Fernando Abreu) estão presentes nos contos reunidos neste livro.

8 – Barba Ensopada de Sangue, de Daniel Galera – Um professor de educação física busca refúgio em Garopaba, um pequeno balneário de Santa Catarina, após a morte do pai. O protagonista (cujo nome não se conhece) se afasta da relação conturbada com os outros membros da família e mergulha em um isolamento geográfico e psicológico.

9 – Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios, de Marçal Aquino – No momento em que narra os fatos, o fotógrafo Cauby está convalescendo de um trauma numa pensão barata, numa cidade do Pará que algum tempo antes fora palco de uma corrida do ouro. Sua voz se propõe a ser impregnada da experiência de quem aprendeu as regras de sobrevivência no submundo – mas não é do ambiente hostil ao seu redor que ele está falando. O motivo de sua descida ao inferno é Lavínia, a misteriosa e sedutora mulher de Ernani, um pastor evangélico.

Me roubaram uns dias contados (Record, 2010)
Me roubaram uns dias contados (Record, 2010)

10 – Me Roubaram Uns Dias Contados, de Rodrigo de Souza Leão – O texto inédito, organizado pelo poeta e jornalista Ramon Mello, curador de sua obra, é um romance que beira a autobiografia, em que Rodrigo é, ao mesmo tempo, autor e personagem de suas próprias histórias. Mas ele ignora com habilidade e extrapola esses limites em que a noção de realidade está o tempo todo em expansão, produzindo uma comunidade de muitos protagonistas.

Enfim, títulos incríveis tem me dado a oportunidade de ler livros incríveis. Vale a pena conferir os títulos acima. Existem outros, mas para não alongar demais essa lista, decidi fechar em dez. E ainda tem aqueles que não li, mas que já estão registrados para futuras compras: “A melhor maneira de comprar sapato”, de Rafael Mendes; “Casa entre vértebras”, de Wesley Peres; “O cadáver ri de seus despojos”, de Carlos de Brito e Mello; “Amor é tudo que nós dissemos que não era”, de Charles Bukosvski; “Cem anos de solidão”, de Gabriel Garcia Márquez.