15 reflexões acerca da carreira de escritor

3
1156

Em palestra on-line, o crítico literário Rodrigo Gurgel fala de literatura e faz reflexões sobre os desafios de quem se entrega à carreira literária

Captura-de-Tela-2015-07-08-as-00.46.24No final do ano passado, assisti a uma interessante palestra on-line do crítico literário e professor de literatura e escrita criativa Rodrigo Gurgel. Autor dos livros Esquecidos & Superestimados e Muita retórica — Pouca literatura (de Alencar a Graça Aranha), o especialista falou por pouco mais de uma hora sobre a carreira de escritor, comentando prerrogativas e desafios, além de fazer uma breve introdução a respeito dos temas que são abordados em sua oficina de escrita literária on-line.

Durante a palestra, o crítico lançou aos espectadores uma série de dicas, reflexões e máximas sobre literatura e a respeito do ofício de escrever propriamente dito. Separei algumas para apresentar neste texto. Confira a seguir:

  1. Escrever é uma atividade solitária e que exige muita disciplina;
  2. É preciso saber como os escritores utilizam as técnicas narrativas;
  3. Sem a escrita nós não formalizaríamos o pensamento e nem garantiríamos sua permanência. Escrever é uma atividade obrigatória para quem pensa, pois com ela se organizam ideias e se dá concretude ao pensamento;
  4. Escrever é um momento em que você é realmente livre, é uma renúncia ao mundo de superficialidade em que vivemos;
  5. Não importa quantos leitores você terá, nem mesmo se você terá leitores, o que essencialmente importa é a sua paixão pelo escrever, a busca pela escrita cada vez mais aprimorada;
  6. Para o bom escritor, em sua atividade solitária, o que mais importa é sempre a sua consciência;
  7. É preciso escrever de maneira clara, que reflita realmente suas ideias, sem pedantismo. É necessário pensar no receptor do texto;
  8. Nossa escrita jamais conseguirá dar vida a todos os nossos pensamentos;
  9. O escritor precisa aprender a conviver com a ideia de que sua escrita nunca será completa;
  10. Pequenas frustrações podem servir de estímulo, sobretudo para escritores mais maduros;
  11. Recolhimento e silêncio sempre geram os melhores frutos na literatura;
  12. Escrever é um desejo de descobrir a si mesmo e àqueles que são diferentes de nós;
  13. O amor à literatura exige minuciosidade, equilíbrio, bom senso; é um exercício da sensibilidade filtrada pelo intelecto;
  14. Buscar a palavra justa é exercitar o pensamento, é se comprometer com o pensamento;
  15. O escritor corre o risco de assimilar conceitos da sociedade em que vive sem filtrá-los, e isso é perigoso. O bom escritor recusa a segurança do senso comum.

 

E você, se arrisca no campo das letras? Concorda com essas ideias? Deixe sua opinião nos comentários. Para saber mais sobre o trabalho de Rodrigo Gurgel, acesse: http://rodrigogurgel.com.br/