30 após sua morte, surge a pergunta: Julio Cortázar morreu de Aids?

0
571

Após 30 anos sem Julio Cortázar, a revista Ñ, suplemento cultural do argentino Clarín, levanta um polêmico episódio de 2011: a possível causa da morte do escritor.

A jornalista, tradutora e poeta Cristina Peri Rossi e o escritor Júlio Cortázar
A jornalista, tradutora e poeta Cristina Peri Rossi e o escritor Julio Cortázar

Nesta quarta (12), a revista Ñ ressaltou a entrevista feita com a amiga do escritor Julio Cortázar, a jornalista uruguaia Cristina Peri Rossi. Ela afirma que Cortázar “não morreu de câncer nem de leucemia, como se especulou, e sim de Aids”.

Segundo a amiga do escritor, Cortázar contraiu a Aids ao passar por uma transfusão de sangue na França, em 1981. O que gerou polêmica mais tarde. Consequentemente, soube-se, tempos depois, que o sangue da Cruz Vermelha era contaminado e que fora comprado de pobres migrantes. Na época, não era feito testes e análises de sangue, pois a Aids ainda era uma doença desconhecida. Posteriormente, tudo isso gerou a demissão do ministro da saúde pública.

Como a doença ainda era desconhecida, nunca existiu um diagnóstico de câncer ou leucemia, “falava-se apenas em perda de defesas imunológicas”.  Diz Cristina que a doença era “caracterizada por um aumento desmesurado nos glóbulos brancos, manchas na pele, diarreias, cansaço, infecções oportunistas e terminou com a morte”.

Rossi diz ainda que “Ele contagiou sua querida mulher, Carol Dunlop. Ela morreu primeiro, dois anos antes de Julio, porque, apesar de ser muitíssimo mais jovem, havia passado por uma cirurgia pra tirar um rim”. A jornalista, inclusive, já defendeu sua tese na biografia do escritor, em 2011. No entanto, a versão é negada por amigos de Cortázar.

A biógrafa conta que, em 1983, em Barcelona, o escritor teria dito a ela que, segundo os médicos franceses, ele não tinha câncer. Então, ambos foram ao médico e poeta Javier Lentini, que confirmou, com base em análises, que o escritor não tinha câncer, mas que tinha, sim, uma doença, um vírus raro, ainda não identificado.