5 conselhos para que você leia melhor

Quer tentar melhorar sua rotina de leitura? Quer ser um leitor melhor e mais saudável? Leia o texto e veja que não é tão difícil assim

Leia um livro por vez

Se você está esperando um milagre, pare de ler aqui mesmo.

Não há segredos para que você leia melhor ou seja um melhor leitor em quantidade – e esse não é o objetivo deste texto. Mas se ainda sim você quer apenas ler mais, clique aqui.

A ideia aqui é para tornar sua rotina de leitura mais saudável, mais prazerosa e mais proveitosa, pois todos merecem.

Apenas aproveite a leitura aqui – e as suas próprias também.

Leia também:

Aprender com Rubem Alves: o prazer da leitura

***

Leia menos

Isso mesmo, se você quer melhorar sua leitura, leia menos. Diminuir o ritmo de leitura pode ajudar e muito. Não acredita? Então vamos lá.

Se você lê cem livros por anos, por exemplo, quanto tempo você realmente dedicou a cada leitura? Se você ler menos, dedicará mais tempo a cada livro lido, fato.

Quantidade não ajuda se você não dá tempo para a leitura sedimentar na sua mente. Empilhar livros é muito bom até certo ponto, porém não permite que adentremos no texto de fato.

Tente ler menos e se dedicar mais ao que está lendo no momento. Cada palavra, cada frase, cada página. Se a pilha de espera é grande, não se preocupe. Ela vai continuar onde está.

 

Leia coisas diferentes

Não posso considerar isso algo novo. Na verdade, é um chavão. No entanto, por mais chavão que seja, ainda se mantém como uma grande verdade.

Lê só sci-fi? Tente ler poesia também. Lê só poesia? Então se embrenhe em contos psicológicos. Lê só contos psicológicos (acho que já deu para entender).

Leia coisas variadas, pois isso pode 1) ajudar a dar espaço para o seu gênero/tipo de leitura preferidos e 2) dar uma nova visão sobre o seu gênero/tipo de leitura preferidos.

É impossível que você não goste de nada para além do seu escopo habitual.

 

Não leia coisas pesadas demais na sequência

Conselho de quem fez isso durante muitos anos.

Há textos mais densos que outros, que demandam mais esforço, que te tiram do lugar. Se você passou por um deles, leia algo mais leve na sequência.

Leitura não precisa ser apenas para motivos elevados. Se você acha que seu tempo é curto demais para ler coisas bobas, há muito a aprender lendo.

Dar espaço para que o texto mais denso se sedimente na mente enquanto se diverte com outra coisa pode inclusive ajudar em ambas as leituras, pense nisso.

 

Leia Paulo Coelho e Stephen King ao menos uma vez na vida

Faço um aviso que já fiz anteriormente: eu disse para lê-los, não para amá-los.

Todo leitor que vive falando mal desses dois autores deve passar pelos textos de ambos pelo menos uma vez na vida. Seja por curiosidade ou por experiência antropológica (dê o nome que quiser).

Se achar que não vai conseguir, não leia e desista – mas ao menos você tentou. Michel de Montaigne fazia assim. Quando um texto não lhe agradava, ele apenas deixava o livro de lado e pegava outro.

Você vai ter uma boa história de leitura e motivos para dizer por que não gosta de ambos. Além disso, quem sabe você não encontre qualidades neles e veja que até maus escritores têm bons momentos.

 

Não leia de vez em quando

Este deveria ser o conselho mais óbvio, porém chega a ser tabu para certos leitores. Não sei vocês, mas há dias que eu não quero ler e assim o faço. Estou cansado, a última leitura foi pesada, não tenho nada de interessante a mão ou no kindle etc.

Não leia por um dia ou dois, vá passear, brincar com o cachorro, o que seja. Lembre que há um mundo lá fora e que, por melhor que seja a representação dele num livro, ainda não é o mundo real.

Acredite, não ler por um dia ou dois não é pecado e ajuda a pensar melhor no que você acabou de ler.

José Figueiredo Author

Coeditor do HL, participante do 30:MIN, idealizador e editor da Pulp Fiction. Um completo desastre na vida.