Início Autores Posts por Max Leite

Max Leite

7 POSTS 0 COMENTÁRIOS
Tradutor literário, revisor e legendador. Além de poeta, é claro, e leitor incorrigível. Formado em Letras (Português/Literaturas) desde 2008. Criador da página de facebook Poesia Contemporânea Brasileira. Contato: max_traducoes@outlook.com
Cartógrafo de Dunas

Cartógrafo de Dunas é um grande copo de água fresca no deserto

0
Cartógrafo de Dunas é uma obra de poderosa carga estética, com ousados recursos trabalhados com surpreendentes inteligência e destreza.   "Poesia. Porque a vida não é um mar de prosas." Não consegui encontrar um melhor começo para...

A surrealidade da guerra em “Vaca de Nariz Sutil”, de Campos de Carvalho

2
Campos de Carvalho disse em entrevista que escreveu Vaca de nariz sutil  "aos prantos". Caçula de uma família relativamente grande para os padrões atuais – eram seis irmãos – Walter Campos de Carvalho, o escritor...

Sangue e poesia em ‘Febre de enxofre’, de Bruno Ribeiro

0
Em Febre de enxofre, da editora Penalux, o autor Bruno Ribeiro se revela um verdadeiro demiurgo FEBRE DE ENXOFRE. Com um título – e uma capa – assim, o leitor com certeza não espera ler...

Plataformas de autopublicação: democratização ou armadilha?

0
Um ponto de vista sobre algumas consequências da ascensão das plataformas de autopublicação Se vejo com bons olhos o espaço que a Amazon abre hoje em dia aos autores independentes? Não entrando no mérito de a...

Modos inacabados de resenhar

0
Em Modos inacabados de morrer, seu romance de estreia e vencedor da Maratona Literária da Editora Oito e Meio, André Timm demonstra talento e um ótimo poder de concisão                    Você...

Tentativas de capturar as tentativas

0
Uma tentativa de capturar o ar com um livro Depois de um tempo como tradutor – principalmente como tradutor literário –, toda leitura que faço é sempre através de lentes tradutórias. Provavelmente é assim com...

A ressurreição da mentira em “Grito”, de Godofredo de Oliveira Neto

0
Uma senhora na casa dos oitenta. Um jovem de dezenove, quase vinte, anos. Dois apartamentos em Copacabana. E a Arte. Na verdade, inverta a ordem aí. Coloque a Arte na frente. É ela, afinal, a...