Canil para cachorro louco, um livro duplamente insano de Maicon Tenfen

1
668

“Não se pode duvidar de alguém capaz de escrever duzentas páginas por ódio”.

IMG_2085_
Maicon Tenfen, autor de “Canil para cachorro louco”

Publicado pela primeira vez no livro Casa Velha Night Club, Canil para cachorro louco sai em nova edição, em livro único, pela Gryphus Editora. O conto do escritor Maicon Tenfen é uma narrativa com uma pitada nonsense, mas sem tirar os pés da realidade.

Foi a primeira vez que o professor Genésio Campanelli procurou uma garota de programa.

Desta forma, se inicia o livro, apresentando o protagonista, um professor universitário há pouco tempo de se aposentar. Cansado da rotina (como grande parte dos personagens de histórias contemporâneos), o personagem vive um cotidiano enfadonho, com uma família bem estabelecida, sem grandes expectativas, senão a compra de um apartamento após a aposentadoria. É então que, após uma aula cancelada, ele pega um jornal e folheia até a página de “acompanhantes”. Bastante hesitante, se tomaria tal atitude, se arriscaria a reputação e a condição de vida, ele vai até o orelhão e liga para uma tal Carol (mesmo nome da estagiária da secretaria). A conversa é seca e direta, e pouco depois, Genésio Campanelli está no apartamento da prostituta, ou pelo menos onde ela marcou para recebê-lo. Logo o leitor se depara com um corte, como num filme de suspense, em que justo quando está para acontecer alguma coisa, a cena tem um fade out. A seguir, num novo segmento do conto, percebe-se a frustração do professor, evitando o contato com a família, consumido pela culpa. Na sala dos professores da universidade, suspeita de todos, até que Carol, a secretária (não a prostituta), aparece e diz que há um rapaz querendo falar com ele. Eles vão até um banheiro, pois o assunto exige sigilo.

Para não roubar a magia da história (acredite, não se contou demais, o conto tem muito a oferecer ao leitor), direi apenas que Genésio Campanelli é ameaçado pelo aluno, uma ameaça tão brutal, embora não física, que põe em risco toda a vida do professor.

Ao saírem do banheiro, Genésio Campanelli acompanha com o olhar o aluno que o ameaçou e que caminha entre a multidão, onde para apenas para cumprimentar uma pessoa: Maicon Tenfen.

Duplamente insano – O autor dentro da história

Refém de uma situação embaraçosa, o protagonista não vê outra possibilidade, tamanha a agonia, do que recorrer a Maicon Tenfen, outrora seu aluno, e que “recentemente se tornara professor da Universidade”.

No entanto, hesita em falar com Maicon, surgindo assim os motivos através do discurso indireto livre de Genésio Campanelli:

Não duvidava de que Maicon fosse louco o bastante para lhe propor uma coisa dessas. Era frio e vingativo, demonstrara isso em diversas ocasiões. Uma vez escreveu e publicou um romance às pressas apenas para difamar uma editora caloteira que o havia passado para trás. O professor sabia do caso porque fizera a revisão do texto. Todo um livro somente para justificar duas ou três maledicências contra um desafeto! Não se pode duvidar de alguém capaz de escrever duzentas páginas por ódio. (pg. 50).

Depois Maicon diz a Genésio:

[…] o senhor aceitou fazer a revisão do meu romance, de graça, mesmo tendo pilhas de provas para corrigir.

Borges? Paul Auster? Pedro Juan Gutiérrez? Não, nenhuma influência destes autores – que também se escrevem em suas obras – percebe-se no conto de Maicon Tenfen. Surge um personagem muito bem construído, impulsivo, a quem o leitor vê através dos olhos de Genésio Campanelli (e acredite, se você ler o conto, ficará tão pasmo quanto o professor).

É algo duplamente insano, descrever-se como um personagem desses.

Há uma curiosidade interessante. Se você pegar um livro de Maicon Tenfen chamado Um cadáver na banheira, e olhar quem consta na revisão do livro, verá o nome: Genésio Campanelli.

canil_para_cachorro_loucoA ficção se mistura com a realidade.

E como última nota, diria que o título faz todo sentido com a obra, quem ler, verá esta frase surgindo como uma lâmina no ponto nevrálgico da história.

Canil para cachorro louco
Maicon Tenfen
Editora Gryphus
2014