Crônica: Sobre trabalhar de chinelo – Vilto Reis

9
738

Você acorda meio puto da vida, perguntando-se que droga de sonho foi aquele… alaranjado, comprimidos, algodão… não lembra mais da conexão das coisas, se é que existe alguma nesta vida.

O banho joga um pouco de realidade fria, dura e pegajosa na sua cara, pelo menos permitindo que você não lave o rosto; já que o chuveiro é um dois em um: lava-rosto-lava-corpo.

A vida te aguarda feito um palhaço depressivo atrás da porta esperando pra te dar um susto. Nada. Nada de balões, línguas-de-sogra, confetes ou presentes, apenas uma xícara de café preto sinalizando que já é de manhã.

Sai para a rua vestindo uma camisa polo Beagle amarrotada e uma calça jeans sabe-se lá de que marca (três por sessenta reais, na promoção).

Entra no ônibus, lotado como geladeira em véspera de final de ano, e fica lá se esfregando dentro daquele aglomero quase, possivelmente, humano. O livro que segura treme mais que chocalho na mão de criança; bom, pelo menos as pessoas ao redor fazem o mesmo barulho ao balbuciar suas conversas inúteis.

– Viu o jogo de ontem?

– O Fábio na novela…

– …fez um golaço. Vai ficar pra…

– … vai saber quem tá traindo quem…

– Melhor do ano? Acho que não…

Começa a ficar impaciente para chegar logo ao escritório. Quase pode afirmar que a melhor coisa do seu dia será a xícara de chá verde, amargo como quando se percebe que mãe tem razão.

O ônibus para.

Coloca um pé no chão depois do outro. O vento fresco da manhã cinzenta bate na cara. Há alguma coisa de errado, ou não?

Você olha para baixo e vê que está indo para o trabalho de chinelo. De chinelo!?

Três coisas podem ter acontecido: 1) Ter se enganado; 2) Seus sapatos terem pedido uma trégua e os chinelos aceitaram o acordo, por isso estão nos seus pés; 3) Você realmente, de forma consciente, calçou os chinelos e foi trabalhar.

Três coisas podem acontecer: 1) Levar uma advertência; 2) Ser demitido; 3) Ninguém notar.

Você pode fazer três coisas para evitar problemas: 1) Mesmo faltando apenas cinco minutos para começar a trabalhar, você corre numa loja próxima e compra um par de tênis, até uma conga, se preciso; 2) Pede para alguém da rua pisar no seu pé, enfaixa-o e justifica os chinelos afirmando os pés estarem machucados; 3) Compra uma passagem para o Havaí e vai tirar umas férias.

Ou, por um acaso, que deveria ser natural num país tropical, você realmente pode ir trabalhar de chinelos. Todos deveria ter a permissão para fazer isso. Simples assim. Você pode.

E vai.

[retweet]

//
//