A Divina Comédia por Salvador Dalí

0
903

O artista catalão Salvador Dalí (1904 – 1989), um dos maiores nomes do surrealismo, fez cem gravuras inspiradas em uma das maiores obras da literatura mundial: A Divina Comédia, do escritor italiano Dante Alighieri (1265 – 1321).

Dalí fez as obras a pedido do governo italiano, entre 1950 e 1960, para homenagear os 700 anos de nascimento do grande poeta Dante Alighieri, que nasceu em Florença.  As gravuras perpassam por todo o poema épico, desde o Inferno até o Paraíso.

Tal como é a obra renascentista de Dante, as gravuras também são divididas entre três partes: o Inferno é constituído por 34 imagens; o Purgatório por 33 imagens; e o Paraíso, também composto por 33 imagens. As gravuras ilustram, um a um, os cantos do poema épico do escritor italiano; elas conduzem o público a uma viagem do inferno ao paraíso, na visão, é claro, de Dalí;  chamam a atenção pela combinação entre imagens bizarras e oníricas –  isto, evidentemente, com excelente qualidade.

Em 2013, as gravuras feitas do pintor surrealista foram exibidas em algumas cidades do Brasil, como Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro e Recife, e as entradas foram gratuitas.

Confira algumas das (incríveis) gravuras:

O Inferno, Canto XXVII, Um Diabo Lógico

O Inferno, Canto XXVII, Um Diabo Lógico.

O Purgatório. Canto I: O Anjo Caído

O Purgatório, Canto I: O Anjo Caído.

O Paraíso, Canto XXVII: Gloria Patri

 

O Paraíso, Canto XXVII: Gloria Patri.