Entre nós & entrelinhas: O sentido da leitura no carnaval – Cláudia de Villar

6
554

Quarta-feira de cinzas e eu aqui falando sobre leitura. Alguém aí está interessado em falar sobre este assunto? Não! Como assim, não?! Sei que havia prometido dar cabo àquela questão sobre telespectadores e leitores, mas é Carnaval, gente!!! Estando na cidade, no campo ou na praia, esteja onde você estiver neste momento, curtindo esta quarta-feira de cinzas, depois de desfrutar de uns dias de “férias” bem no meio do mês, você se pergunta, qual é o sentido disto tudo? O Brasil mergulhado em corrupção, as taxas subindo igual balão e sem freio, as contas chegando pelo correio e você aí, curtindo uma pausa já no início do mês. E o ano, já começou? Ou o ano só começa depois do carnaval? Qual seria o verdadeiro sentido do carnaval? Depois de tanta comilança dos festejos de final de ano vem este período nacional de festa. Seria pão e circo?

E afinal, falei, falei e cadê a leitura? A leitura está em todas as linhas deste início de conversa.

A Literatura preenche as lacunas das nossas vidas e responde às perguntas presas em nossas gargantas. E você pergunta para mim: Eu não gosto de ler, e agora, ficarei sem as tais respostas? E eu respondo: Claro que não, afinal, nunca é tarde para começar e o futuro está em suas mãos. Veja bem, para você que não quer “perder tempo” neste final de férias, leia um gibi. E sorria! Para você que não quer saber de problemas, leia um romance açucarado e terá amor, carinho e palavras melosas. E para você que quer mais e mais aventura, leia um bom livro de ação. Quer saber sobre o poder, a corrupção e o Estado, vá ler O Príncipe, de Maquiavel. Ou, em último caso, leia um jornal, mas leia! E então, não é que a Literatura pode dar um sentido para qualquer momento que você esteja vivendo?

Nesta quarta-feira de cinzas, dia que você quer apenas desfrutar de uma pausa entre a ressaca carnavalesca e o enterro dos ossos, bem jogado no sofá, que tal pegar um livro? Gosto muito de uma passagem do livro de Viktor Frankl, Em busca de sentido, Um psicólogo no campo de concentração, que diz: “(…) E como pode um ser humano encontrar um sentido? (…) há três caminhos principais através dos quais se pode chegar ao sentido: O primeiro consiste em criar um trabalho ou fazer uma ação. O segundo está em experimentar algo ou encontrar alguém; em outras palavras, o sentido pode ser encontrado não só no trabalho, mas também no amor. (…) O mais importante, no entanto, é o terceiro caminho para o sentido na vida: mesmo uma vítima sem recursos, numa situação sem esperança, enfrentando um destino que não pode mudar, pode erguer-se acima de si mesma, crescer para além de si mesma e, assim, mudar-se a si mesma. Pode transformar a tragédia pessoal em triunfo.” Qual o sentido disto tudo? E qual é o sentido de você pegar um livro para ler nesta quarta-feira de cinzas? Siga o meu raciocínio.

Se você quer saber o sentido das coisas, comecemos pela busca deste sentido que, conforme exemplo literário citado anteriormente, o primeiro caminho para encontrar esta resposta está no trabalho. Eu creio que você, por estar em férias, já buscou e já encontrou. O amor? Bem, penso que você ou já o tem ou encontrou alguém neste carnaval. O que falta então? O terceiro caminho! O mais importante, mudar-se a si mesmo. Eureca! Comece mudando a si mesmo lendo um livro numa quarta-feira de carnaval!

Viu só, como a Literatura é, surpreendentemente, poderosa!

Por isto, tome uma atitude de mudança, encontre o sentido do carnaval, o sentido da folia e, principalmente, o sentido de sua vida. Cá entre nós, quem sabe você poderá encontrá-lo nas entrelinhas de um livro? Mude, transforme-se. Leia já!

Até a próxima quarta-feira.
Luz e Livros para vocês.