H.P. Lovecraft aconselha escritores a fugirem de guias didáticos

0
1002

“Uma página de Addison ou Irving ensinará mais de estilo do que um manual de regras, assim como um conto de Poe irá impressionar a mente com uma noção mais nítida de descrição e narração, corrigindo-as muito mais do que dez capítulos secos de um volumoso livro didático”

Howard Phillip Lovecraft Pulpo

A citação é de um dos maiores escritores de terror na literatura mundial, o norte-americano Howard Phillips Lovecraft. Avesso aos títulos que prometem a transição do leitor ao papel de escritor por meio de técnicas rígidas, Lovecraft também fez sua contribuição às estantes dos guias literários.

Em janeiro de 1920, o icônico escritor que uniu o terror à fantasia e ficção científica publicou um pequeno manual intitulado Literary Composition (Composição Literária) para a United Amateur Press Association (algo como Associação de Imprensa Amadora Unida), um selo direcionado à educação literária que se intitulou como o “expoente do jornalismo amador”, uma clara antecipação de blogs e das mídias radicais, em que o cidadão comum interfere diretamente na apuração e composição da notícia.

Esse excerto pode ser encontrado na antologia Writings in the United Amateur, que reúne os materiais enviados por Lovecraft para a Associação. A antologia e o artigo sobre composição literária estão disponíveis para leitura e download ao final deste texto. É importante ressaltar que o material não foi publicado no Brasil, portanto só está disponível na língua inglesa.

No artigo, Lovecraft enfatiza a importância vital da leitura na vida de um escritor, a mediação entre ficção e fatos, o amor pelas palavras incomuns, escolha assertiva de leituras e muito mais.

Conhecedor da gramática inglesa, o escritor também oferece dicas práticas para evitar lugares comuns, repetições e termos gramaticalmente incorretos. A tessitura de seus conselhos é muito diferente da dos manuais encontrados no mesmo segmento.

A maior parte dos livros que ensinam ficção trazem informação técnicas de estrutura, estilo, clímax e composição de personagens. O que Lovecraft propõe é o preparo para a escrita e a atenção com as descrições, independentemente do modo como o escritor optou por operá-las.

Seguem alguns trechos do artigo de H.P. Lovecraft traduzidos livremente.

Sobre a osmose vital entre ler e escrever:

“Nenhum aspirante a escritor deveria se contentar com a mera aquisição de regras técnicas. Todas as tentativas de polimento do texto devem começar com leitura judiciosa, e o aprendiz nunca deve cessar a priorização dessa fase. Em muitos casos, o uso de bons autores vai ser um guia mais efetivo do que um amontoado de preceitos. Uma página de Addison ou Irving ensinará mais de estilo do que um manual de regras, assim como um conto de Poe irá impressionar a mente com uma noção mais nítida de descrição e narração, corrigindo-as muito mais do que dez capítulos secos de um volumoso livro didático.”

Sobre a importância de selecionar leituras que não devem ser feitas:

“Também é importante que tipos mais baratos de leitura, se seguidos até então, sejam abandonados. Revistas populares incutem um estilo despreocupado e deplorável que é difícil de se desprender e que impedem a aquisição de um estilo mais puro. Se materiais desse tipo precisarem ser lidos, passe os olhos da forma mais superficial possível”

Sobre o amor e cultivo de palavras incomuns:

 “Um importante efeito superlativo de leitura ampla é a expansão de vocabulário que sempre acompanha o hábito. Os estudantes comuns são gravemente impedidos pelo alcance estreito de palavras que podem escolher e descobrem rapidamente que em longas composições não conseguem evitar a monotonia. Na leitura, o novato deve perceber os variados modos de expressão praticados por bons autores e mantê-los na mente, para o uso futuro de sinônimos apropriados. (…)

Porém, no uso do novo vocabulário devemos prestar atenção se não estamos usando os termos de forma errada. É preciso lembrar que há distinções entre palavras aparentemente similares e que a linguagem nunca deve ser escolhida sem minuciosa seleção.”

Downloads (em inglês)

Antologia Writings in the United Amateur

Literary Composition