Livros infantis realmente de bruxas

A paixão das crianças pelo irreal combina com bruxas

Ilustração de hwilki65

Ilustração de Hwilki65

Desde a Cuca, do Sítio do Pica-Pau Amarelo, que não era uma bruxa, mas um jacaré ou crocodilo gigante e personificado, o terror invade o mundo infantil de forma mais frequente.

Temos, por parte das crianças, uma verdadeira paixão para a sensação do medo irreal. Pode ser através de filmes nos televisores ou nos cinemas. Entretanto, é na literatura que esse assunto ganha novos espaços, invadindo as salas de aulas, com seus títulos instigantes e aterrorizantes.

Sabemos que professores que lecionam para alunos de séries iniciais do ensino fundamental utilizam a literatura infantil como ferramenta de apoio em sala de aula (aqui não vamos discutir se isso é bom ou não), mas chamamos a atenção para as obras literárias que chegam às escolas como apoio a datas comemorativas ou festivas que existem nos calendários escolares. E o dia das bruxas é uma dessas datas.

Ruth Rocha, com uma série de livros denominada Quem tem medo?, traz na capa do livro: Quem tem medo de quê?, a figura de uma bruxinha com um morcego nas mãos. Obviamente, por se tratar de uma escritora infantil com fama, professores e, muitas vezes, pais, saem correndo para adquirir essa obra. Entretanto, chamamos a atenção para o conteúdo do livro, que em nenhum momento fala sobre bruxa. Isso mesmo, mesmo com uma capa com a figura de uma bruxa, o assunto é sobre medo! A obra aborda o medo de trovão, lagartixa, injeção, escuridão, vampiro, piolho, cachorro, avião, e entre outros animais. Mas e a bruxa da capa? Cadê? Não tem, não!

Muitos escritores foram por esse caminho e também escreveram sobre bruxas. Temos a Léia Cassol, com O aniversário da bruxa Kika, uma obra mais indicada para os leitores iniciantes, mas aqui, vamos encontrar bruxa! Ufa! De Gabriel Pacheco, temos A bruxa e o espantalho, uma obra sem palavras, apenas com gravuras, Clarissa Meroni de Souza e Os bruxos também amam para alunos apaixonados.  Além disso, está chegando a obra: A bruxinha Meleca, de Marcos de Andrade; e a obra Bruxa, bruxa venha à minha festa, tradução de Gilda Aquino e escrita por Arden Druce com suas figuras assustadoras. Não podemos deixar de citar aqui, também como sugestão de leitura, um livro que veio para as escolas através do Programa Alfabetização na Idade Certa (FNDE), Condomínio dos Monstros, de Alexandre de Castro Gomes, que envolve vários monstros do imaginário infantil.

Por fim, segue a dica: não compre pela capa, abra o livro, respire o conteúdo e leia um pouquinho da obra!

livro bruxa 1 bruxa3 bruxa 2

Artigo anteriorConto: Electra
Próximo artigoO terror imita a vida?
Cláudia De Villarhttp:claudiadevillar.blogspot.com/
Cláudia de Villar é professora, escritora e oficineira. Formada em Letras pela FAPA/RS, especialista em Pedagogia Gestora e em Supervisão Escolar. A escritora tem alguns livros já publicados para o público infantojuvenil e adulto. Atua também como colunista de alguns jornais do RS (Jornal de Viamão e Jornal Floresta) e colabora com um texto mensal para o site Artistas Gaúchos. Desde agosto de 2013 é uma das associadas da AGES (Associação Gaúcha de Escritores). Cláudia afirma que é professora por opção profissional e escritora por vocação. Ler, escrever, criar e sonhar faz parte da composição de seu SER.
Cláudia De Villarhttp:claudiadevillar.blogspot.com/
Cláudia de Villar é professora, escritora e oficineira. Formada em Letras pela FAPA/RS, especialista em Pedagogia Gestora e em Supervisão Escolar. A escritora tem alguns livros já publicados para o público infantojuvenil e adulto. Atua também como colunista de alguns jornais do RS (Jornal de Viamão e Jornal Floresta) e colabora com um texto mensal para o site Artistas Gaúchos. Desde agosto de 2013 é uma das associadas da AGES (Associação Gaúcha de Escritores). Cláudia afirma que é professora por opção profissional e escritora por vocação. Ler, escrever, criar e sonhar faz parte da composição de seu SER.
- Advertisment -

Em Alta

- Advertisment -