O encontro de uma romântica com zumbis, vampiros e lobisomens – Sté Spengler

0
405

Resenha: Chagas da Condenação – Victor Miranda

Para tudo e presta atenção. Quem conhece meu estilo literário, já sabe. Quem não conhece, pensa numa pessoa que vive em mundo de chalés em jardins floridos, vestidos elegantes, cavalheirismo, bailes, chá e discussões sobre a sociedade e relacionamentos. Agora pensa nessa mesma pessoa sendo arrastada (por ela mesma) até ficar frente a frente com zumbis, vampiros e lobisomens. Ler “Chagas da Condenação” foi um verdadeiro desafio para mim – eu nunca me interessei por histórias apocalípticas repletas de criaturas do inferno. Acredite, até mesmo os adeptos do Romantismo podem ler esse livro! Aliás, é sempre muito bom variar e conhecer antes de apontar o dedo para criticar!

Chagas da Condenação, escrito por Víctor Miranda, fala sobre uma maldição que recaíra sobre o mundo. Agora esse nosso mundo, inclusive o nosso lindo Rio de Janeiro, era habitado por terríveis criaturas. Mas você para e pensa: e se a mais terrível de todas aquelas criaturas sempre tivesse existido? Será que o homem conseguiria finalmente deixar suas diferenças de lado? Essa é, na minha opinião, a pergunta chave do livro.

Chagas da Condenação, Editora Dracaena, 2012
Chagas da Condenação – Victor Miranda, Editora Dracaena, 2012

Assim que comecei a ler, não consegui parar. É o que eu chamo de uma história envolvente. Há momentos em que você ri e outros em que você (principalmente se for mulher) deseja dar um soco no personagem principal – um machista egoísta e tarado, mas que no fundo tem um bom coração (beeeem no fundo!). De qualquer maneira, em todos esses momentos você é capaz de se ver dirigindo em alta velocidade pelas ruas do Rio de Janeiro, de ver a face pútrida dos zumbis ou de ouvir o barulho dos tiros que parecem não cessar um segundo.

O mais incrível é que esse “machista egoísta e tarado” do Bento Batista não era um policial ou um herói do exército. Ele sobrevivia graças ao treinamento adquirido através de jogos de videogame. Assim, acho que ainda me resta a esperança de comer um cogumelo e passar de uma pequena mulher para uma grande mulher!

O que mais dizer? Apesar da destruição do Victor ou dos conflitos reais nas favelas e nas ruas, o Rio de Janeiro continua lindo!…