Poesias Pensadas: Caderno sem nome – Cláudia de Villar

0
613

Mais uma para finalizar: um mês de poesia pra garotada encantar!

Caderno sem nome

O caderninho de Guilherme
Anda indignado.
Vejam só!
O lápis de Matheus,
Se chama lápis Romeu!
A borracha de Franciele,
Se chama borracha Keli.
E a lapiseira de Tarcila?
Se chama Priscila!
Só ele que não tem nome.
E o nome é tão importante
Na vida dos seres.
Fez manifestação!!!
Reuniu todos no escritório.
Abriu a votação.
Giovane, Allan, Márcio, Heitor?
Quem sabe Thiago ou Gabriel?
Pronto!
O caderno agora tem nome.
Se chama caderno Aspone.

Poesias e pensamento a todos.