Quinta da Poesia – Encontros Amorosos – Dia Mundial da Poesia

3
750

Amor, sublime amor, talvez seja o tema mais clichê quando se fala em poesias, mas também é o mais voraz. Poetas amam intensamente e isto se reflete na beleza de seus textos. Hoje gostaria de celebrar o Dia Mundial da Poesia com gostinho de romance, venham e encontrem-se comigo:

Expectativas

Amada minha
Sei que estás a chegar
pudera eu vislumbrar
sua beleza admirar

Hoje durmo grato
sei que
não vacilarás
em brevemente te achegar

Obrigado Pai
por me enviar
uma ajudadora
a quem eu queira amar

Vem, cavalga depressa
está chegando o dia
em que iremos finalmente
nos abraçar

Amada minha
venha agora
já não é mais tempo
de ti esperar

Minha amada
és formosa
doce bailarina
vem dançar

E neste embalo
sigo andante
correndo com paciência
a te encontrar

Juliano Rodrigues

MEUS OLHOS…

Quando a luz do meu olhar  refletir no teu é sinal que pode me beijar…

Não fique esperando por minhas palavras pois elas não condizem com o que desejo!!

Quando adormeço e te encontro em meus sonhos é quando consigo realizar todos meus desejos…

Sejam eles os mais absurdos…

Nos meus sonhos consigo ser eu mesma, não fujo, não disfarço….apenas VIVO!!!

Flávia Quevedo Trindade

Início e fim

Em meio ao incêndio
Fui tentar te salvar
Eu era um garoto pequeno
Só queria te amar.As labaredas tomavam conta
Mas entre elas consegui passar
Te encontrei no chão zonza
E tentei a todo custo dali te carregar.

O fogo não permitia a saída
Então resolvi ao seu lado ficar
Cobri com um pano seu nariz como medida
Para você voltar a respirar.

Sentado ao seu lado decidi
Com um sussurro fui falar:
Quer ser minha namorada,
mesmo que o céu vá ser nossa morada?

Ela olhou em meus olhos sorrindo
Quase não pude me conter
Estava meu rosto acariciando
Dizendo sim antes de morrer.

Ali abraçados em meio ao fogo
Eu não pude deixar de perceber
Que dois formam um todo
E que sem minha amada não posso viver.

Larissa Coelho

O primeiro poema nos traz a doce expectativa do encontro, aquela ansiedade gostosa de esperar pela pessoa amada. A gaúcha Flávia nos remete a intensidade do encontro, ao poder do olhar, a força do desejo, nos convida a embarcar neste amor. Larissa, pérola de Presidente Getúlio, vem e arrebata-nos com um amor desesperado, e finaliza com o ápice poético da tragédia! Interessante é ressaltar que o poema de Larissa veio antes da tragédia de Santa Maria, refletindo o tom profético do inconsciente coletivo dos artistas.

PS: Amanhã, 22 de março, irei recitar um ou mais poemas no Teatro Carlos Gomes em Blumenau, pessoal da região é mais do que convidado, compareçam ao Sarau Facamolada: Fé, Paixão e Poesia. Às 20hs. Entrada Franca.

saraufacamoladacartazeu

Enviem suas poesias para serem publicados aqui, contribuam para a causa poética!! Mandem para o e-mail: [email protected] . Enquanto comentam, deixo-os ao som de um dos poemas mais belos já entoados, com uma sonoridade fantástica e um amor escatológico: The Raven, Edgar Allan Poe

Deus Abençoe!

Juliano Rodrigues