Resenha: Fantasias Urbanas – Eric Novello (org.)

5
867

Sabe quando você gosta tanto de um escritor que só de ver o nome dele no material já tem vontade de comprar? Então, é o caso do Eric Novello. Depois que li Neon Azul dele, fiquei ansioso por adquirir outras obras do autor, pois ele me lembra um pouco o estilo do Neil Gaiman, um dos meus escritores favoritos. Foi então que resolvi comprar A Sombra do Sol (assim que ler posto resenha aqui), e Fantasias Urbanas, o qual não é escrito por ele, mas organizado pelo próprio.

Fantasias Urbanas é uma antologia de contos com uma proposta diferente, falar de cidades. Não estar preso a elas, mas levar até o leitor histórias que não poderiam funcionar sem este elemento incrível.

O livro tem nove contos, por consequência não falarei de todos, mas dos meus três preferidos.

O Monge – José Roberto Vieira: ambientado no mesmo mundo de O Baronato de Shoah, do mesmo autor, o conto tem aquele apelo à liberdade ou a expressão, geralmente contido nas histórias na estética Steampunk.  Syrah está a caminho de um julgamento, ela é uma Nookan, uma espécie de “advogada”. Seu cliente matou duas Sheyvet inteiras (batalhões de elite militar).  No enredo, ela tem que descobrir as motivações e decidir-se entre aquilo que todos esperam que ela faça, e o que seu coração deseja.

Antropomaquia – Carlos Orsi: em um futuro pós-apocalíptico, mesmo, onde os “escolhidos” humanos já foram arrebatados, e os que ficaram foram subjugados por criaturas  como vampiros e mortos-vivos em geral, acontece a trama. O autor nos coloca na pele de um humano disfarçado como a múmia Ardath Bey. Sua missão é descobrir uma forma de libertar os humanos que eram usados na Antropomaquia, uma espécie de luta de diversão para os mortos-vivos em que era colocado um humano totalmente alterado para lutar com um vampiro.
A tensão do conto é um dos fatores que fazem valer apena.

A Cidade Perdida – Rafael Lima: “A dor aleija a razão”. Ok, eu confesso, tenho uma fraqueza por contos que começam com boas frases. Este conto tem seu princípio com aquela áurea lúgubre e pessimista de alguém que está preso, neste caso Serjan Calegheri, um soldado do exército real Banshee. Ele foi capturado por selvagens, mas começa a ser ajudado por Suriah, a filha do chefe de seus captores. Ela o ajuda com uma condição, que entrasse no local onde eles guardavam as coisas há muito deixado pelos humanos.
O mais interessante do conto são as reviravoltas e as lutas travadas.

O livro tem vários contos interessantes e conta inda com a participação de autores como: Ana Cristina Rodrigues (O Rei-Máquina), Antônio Luiz M. C. Costa (Agora Pode Ser Contado), Douglas MCT (Onde termina o inferno), Erick Santos Cardoso (Em nome das mães), Rober Pinheiro (A alma boa de viens) e Tiago Toy (Heroína).

Vale ressaltar o projeto gráfico da Editora Draco, é um livro que realmente valeria a pena comprar só pela capa; mas este é completo, capa e conteúdo.

 

Se interessou pelo livro? Então adquira clicando neste link e você estará ajudando o Homo Literatus.