Resenha: Lugar Nenhum – Neil Gaiman

0
1121

Gaiman é, sem dúvida alguma, um dos maiores criadores de histórias da atualidade. Desde os quadrinhos (Sandman, entre outros), contos, filmes (Máscaras da Ilusão) indo até os romances (Deuses Americanos e Filhos de Anansi), o autor se destaca pela habilidade de criar personagens e situações fantásticas.

“Uma voz lá no fundo de Richard lembrou que Atlântida nunca existiu e, ousada, continuou dizendo que anjos também não existiam e que, além disso, as experiências pelas quais ele havia passado nos últimos dias eram impossíveis. Richard a ignorou. Era estranho, estava aprendendo a confiar em seus instintos […]”.

Em 1997, Neil Gaiman escreveu uma minissérie para a BBC, “Neverwhere”. A história, porém, ganhou as páginas de um livro, que foi publicado em 2007 no Brasil pela Conrad Editora.

Lugar Nenhum conta a história de Richard Mayhew, um sujeito, propositalmente sem sal. Este personagem é noivo de Jessica, uma moça incrivelmente linda e ambiciosa. Tudo ia muito bem para os dois, até que numa ida a um restaurante, uma moça vinda do nada desaba, ao chão, à frente de Richard; e, contrariando Jessica, ele decide ajudá-la. Mal poderia ele saber que este fato mudaria sua vida por completo.

O autor nos apresenta outra Londres, a “de baixo”. Depois de lê-lo, não consigo pensar numa forma tão brilhante e interessante de descrever esgotos, escadas e metrôs.

Os personagens são incríveis: Door, a fantástica abridora de portas; Marques de Carabas; Hunter, a caçadora; entre outros.

As mais de trezentas páginas do autor são lidas facilmente, por seu estilo fluido.

Vale a leitura!