Rubem Fonseca surpreende seu público

0
894

Os leitores de José Rubem Fonseca foram pegos de surpresa, na última semana, ao ser postado um vídeo no canal Youtube do autor de Feliz ano novo, O cobrador e Romance Negro e outras histórias discursando em um evento público, realizado no primeiro dia do mês, durante a inauguração de uma biblioteca que leva o seu nome, criada na linha 4 do metrô, na Praça Antero de Quental, no Leblon, zona sul do Rio de Janeiro.

O escritor de 88 anos mostrou firmeza e autenticidade em seu discurso ao falar da importância da leitura frente a um grupo de operários. E chegou até mesmo a posar para fotos, mostrando um simpático sorriso em companhia de seus óculos escuros.

Rubem Fonseca
Rubem Fonseca

“A leitura, a palavra é extremamente polissêmica. Cada leitor lê de uma maneira diferente. Então cada um de nós recria o que está lendo, esta é a vantagem da leitura”, foram algumas das palavras do mestre.

Conhecido por não conceder entrevistas, exceto em premiações no exterior, Rubem Fonseca é um dos autores mais consagrados da literatura brasileira, responsável por influenciar uma legião de escritores, que se aliaram ao longo das últimas décadas à sua prosa de viés brutalista e demasiado sofisticada, que fala da cultura urbana misturando tramas policiais, pornografia, referências eruditas e excentricidade, numa linguagem próxima ao cinematográfico. Aliás, o próprio escritor já disse ser um cineasta frustrado. Porém, em 2003, chegou a roteirizar o filme O homem do ano, inspirado no livro O matador, da escritora Patrícia Melo, considerada já algum tempo como “a Fonseca de saias”.

Ainda este mês o escritor irá lançar pela Nova Fronteira, Amálgama, sua mais nova coletânea de contos, seguido de uma nova edição de Os prisioneiros, sua obra inaugural publicada em 1963, para a felicidade de seus leitores que ganharão mais um livro inédito e uma nova edição de seu filho mais velho no ano em que completa cinco décadas de carreira literária.

Aos 88 anos, Rubão está com tudo e não está prosa. Digo, prosa só nos livros. Afinal, como é de tradição em seu discurso: “Está tudo nos livros.”

O vídeo do escritor durante o evento você pode conferir abaixo: