Descontextualizando – Cartas? Há quem as use ainda? – Desiree Perrone

2
340

Olá pessoal!

Site novinho em folha, e muitos textos em 2013 para nós debatermos, é isso que prometemos!
Vou relacionar o texto de hoje, novamente com um caso familiar. Nas últimas férias, passamos na casa de alguns parentes, em São Paulo. Gabrielle conheceu alguns primos e se encantou por eles. Hoje, em Porto Alegre, ela manifestou o desejo absurdo de escrever e desenhar para ele. Isto é, ela quer mandar cartas.

Há quem use esse meio, hoje em dia, para comunicação? Acredito que para outros fins, como mandar e receber objetos, sim. Acredito não, ele é usado, e muito usado. Mas, para comunicação, tenho lá minhas dúvidas. Ainda mais, tendo em vista todas as formas de comunicação rápida como email, mensagens de texto, Skype etc, a carta ficou obsoleta.

Enfim, Gabrielle ressuscitou essa forma retrô de comunicação. Com ela, revivemos todo o anseio de esperar a carta chegar, e depois esperar a resposta chegar. Claro, que por ela ter 6 anos, e o primo também, não esperamos nada além de desenhos, os nomes deles grafados com colas coloridas, glitter entre outras coisas. Mas, vocês já pensaram no futuro? Quando estes dois forem adultos, verão que na inocência de sua infância, buscaram uma forma única de recortar a distância que os separa.

Pensando desta forma, incentivo essa prática. Levo no correio, compro selo, ajudo a inventar o desenho. Se faz literatura assim. É uma forma bonita, singela, verdadeira de início ao amor pelas Letras, pelas histórias. O que de início se começa com simples desenhos, no decorrer, pode-se esperar histórias a partir desses desenhos.

Um feliz 2013 queridos leitores. Contamos com a companhia de vocês! Um beijo grande

[retweet]

//
//