Resenha: Índios Coloridos – Fernando Ammon Valle

Atenção! Índios Coloridos não é um livro para ser lido, e sim degustado. Pode parecer exagero, mas a coletânea de contos da coleção Novos Caminhos, distribuída em várias escolas, é um livro simples e direto. Mesmo o adulto mais convicto de sua maturidade literária, pode se deleitar nas páginas desta leitura rápida.

“Robustos e musculosos, andam inteiramente nus (…), mas todos, sem exceção, pintam o corpo durante os dias de festa.”

O livro conta com vinte um contos curtos falando de temas do cotidiano de qualquer cidadão, desde uma possível perseguição a encontros e desencontros amorosos.

Dois contos ficaram mais gravemente marcados em minha memória: 1) O Compasso que Fazia Quadrados, onde um menino se vê diante da estranha perspectiva de seu compasso passar a fazer quadrados, em vez de círculos; 2) Descrição, um conto onde o autor passa o conto todo descrevendo um rapaz e no final tem u
ma virada sutil e inteligente.

Em resumo, ou melhor, resenha, o livro é uma leitura que vale a pena, mas não tem muito como explicar o porquê. Só lendo para entender.





Vilto Reis
Autor do livro "Um gato chamado Borges", professor de escrita criativa e apresentador do Podcast de Literatura 30:MIN.
Vilto Reis
Autor do livro "Um gato chamado Borges", professor de escrita criativa e apresentador do Podcast de Literatura 30:MIN.
- Advertisment -

Em Alta

- Advertisment -