5 catástrofes mundiais na literatura

Se você acha a realidade assustadora, é porque esqueceu o que a literatura é capaz de criar catástrofes ainda maiores

tsunami-ondas-gigantes-japao-catastrofe-Not1E se tudo o que fosse escrito nos livros se tornasse realidade, já pensou? Seres mitológicos, criaturas do mal, reinos fantásticos. Imagine agora as tragédias a nível mundial. O mundo já tem tragédias o suficiente, mas os escritores não cansam de escrever muitas outras. Veja cinco grandes catástrofes que já aconteceram nos livros.

1) E se as pessoas do mundo todo ficassem cegas?

Esse é o ponto de partida em que se apoia Saramago  – primeiro e, até agora, único escritor da língua portuguesa que recebeu o prêmio Nobel de Literatura – para escrever seu livro Ensaio Sobre a Cegueira. Uma epidemia se espalha rapidamente pelo planeta, é uma cegueira branca como um mar de leite. O autor nos leva, através das privações e limitações dos personagens, a desvendar as características primitivas do ser humano e como até onde podemos ir quando as regras de conduta social não valem ou não fazem mais sentido.

2) E se num determinado dia as pessoas parassem de morrer?

Saramago consegue imaginar esta catástrofe em seu livro As Intermitências da Morte. A partir da recusa da morte em exercer sua atividade, ele mostra, do macro ao micro, as consequências e reações desde as instituições governamentais, a Igreja, o setor comercial, passando pelos repórteres, filósofos e famílias com moribundos em casa. E se a morte voltasse a atuar, como ficaria o lugar que se habituou à vida eterna? As reflexões de Saramago vão muito além das questões existenciais, ele faz duras e precisas críticas sobre a sociedade moderna.

3) E se ler livros fosse proibido?

Ou se fato de ter opinião própria e pensamento crítico fosse considerado um crime? É o que Ray Bradbury escreveu em Fahrenheit 451. Todos os livros são queimados e é através da experiência e conflito de um desses queimadores que se passa a história. Imagine as pessoas proibidas de adquirir conhecimento, que são controladas pelo governo totalitário através da televisão. Tudo para que ninguém se rebele contra o sistema de governo absolutista.

4) E se a terra fosse invadida por extraterrestres?

O clássico Guerra dos Mundos, de H. G. Wells, mostra, através de um narrador-personagem, a cidade de Londres cercada por marcianos dominadores em máquinas biomecânicas gigantes que destroem tudo e se alimentam de sangue humano. O autor ainda mostra a evacuação e desolação de uma Londres sitiada. Podemos imaginar o quanto estamos despreparados para qualquer tipo de ameaça, mesmo que seja deste mundo.

5) E se o Brasil tivesse se aliado ao Terceiro Reich durante a Segunda Guerra Mundial?

Consegue imaginar a contradição de uma nação miscigenada se aliar ao Nazismo? Miguel Sanchez Neto, com seu livro A Segunda Pátria, idealiza um cenário alternativo e mostra esta situação através da história do engenheiro Adolpho Ventura. O autor altera a história e encontra brechas para inventar essa realidade paralela. Violência e sensualidade estão presentes neste livro. Apesar de não ter acontecido, a história é bastante plausível.

***

Existem muitas outras catástrofes nos livros. Qual a sua preferida ou a que mais te assusta?

Silvano Filho Autor

Escritor e designer gráfico. Pernambucano do interior. Casado com a mulher da sua vida. Autor do projeto literário 12 Contos (2015). Escreve sua literatura com a mão esquerda. Fanpage: facebook.com/silvanobsfilho