Irmã de Anne Frank lança livro sobre Holocausto

0
1878

(Eva Schloss na foto de capa)

Eva Schloss, sobrevivente do Holocausto, meia-irmã de Anne Frank, lança agora um livro sobre sua vida, sua experiência dolorosa no campo de concentração e a relação com a família. A notícia e o primeiro capítulo foram disponibilizados pelo Catraca Livre.

A Segunda Guerra sempre despertou nosso fascínio e nosso horror. O Holocausto foi uma das maiores feridas da história mundial e deixou marcas profundas em várias gerações de judeus. O Diário de Anne Frank é um registro da época muito interessante para a literatura e para a História (e, particularmente, um dos meus livros preferidos). Nele, conhecemos os acontecimentos da guerra e da perseguição aos judeus sob a ótica de uma menina no início da adolescência, que ainda está

Depois de Auschwitz, Editora Universo de Livros (2013)
Depois de Auschwitz, Editora Universo de Livros (2013)

tentando se descobrir e descobrir o mundo. Anne era extremamente sensível e inteligente, desde cedo já possuía uma forte visão crítica das coisas e passa por um processo forçado de amadurecimento durante o tempo em que fica no esconderijo com a família e os vizinhos. A constante ameaça de um ataque ou da descoberta do esconderijo e a difícil convivência entre as famílias tornam a situação ainda mais tensa.

A repercussão de O Diário de Anne Frank foi tão grande que rendeu diversos estudos, filmes e novos livros. Recentemente, foi lançado Os Colegas de Anne Frank com relatos de colegas e amigas que conviveram com ela e também sofreram com o nazismo. Eu ganhei esse livro, mas confesso que ainda não li (minha mãe leu e disse que não é muito interessante, parece um tanto oportunista; além disso, as colegas de Anne não a compreendiam, ou mesmo a invejavam).

Agora, sobre o livro de Eva Schloss, a princípio não me emocionou tanto quanto o relato da jovem Anne, porém pode ser um documento importante e interessante. No primeiro capítulo, ela narra a história de sua família. Eu não me lembro de Eva no Diário, acho que ela sequer é mencionada; Anne fala apenas de sua irmã Margot, com quem tinha um relacionamento conflituoso. O relato de Eva parece ser mais maduro, pelo tempo de planejamento, e contém mais detalhes sobre o campo de concentração, já que o Diário termina quando Anne é encontrada com sua família pelos nazistas. Será que esse livro gerará tanta discussão como o de Anne Frank? Será puro oportunismo ou boa oportunidade? O que você acha? Deixe seus comentários a respeito!

Anne Frank
Anne Frank

Curiosidade
Anne Frank tinha mesmo a intenção de transformar seu diário em livro. Ela ouviu no rádio sobre um projeto de lançamento de livros-relatos pós-guerra e começou a organizar seus escritos para futura publicação. Como ela faleceu no campo de concentração, foi seu pai quem conseguiu publicá-los posteriormente, com alguns cortes. A edição original só foi de fato lançada anos mais tarde. E mais: Anne tinha sérias pretensões de se tornar escritora. Existe uma edição vira-vira da Saraiva contendo O Diário de Anne Frank e Contos do Esconderijo. Alguns contos têm certo tom infantil, outros se aproximam mais do estilo da crônica, mas são bem escritos e criativos, de modo geral. Acredito que Anne Frank poderia ter se tornado uma grande escritora, caso tivesse tido a chance de crescer e se aperfeiçoar. Foi uma vocação interrompida. Triste.