Autor: Cecilia Garcia Marcon

Mestranda em Sociologia da Educação, formada em Letras e Linguística pela Unicamp e pós-graduada em Jornalismo pela PUC-Campinas. Publicou um conto na antologia "Sentimentos à flor da pele". É professora, jornalista, escritora e realmente acredita que o poder das palavras é o único capaz de mudar o mundo. Ama o ofício, pois é viciada em adrenalina.

Guy Debord e “The National Anthem” – reflexões sobre Black Mirror

“Meu, isso é muito Black Mirror” Essa frase tomou as redes sociais e a vida real nos últimos meses de 2016. A série britânica Black Mirror já está em sua…

Como irritar seu resenhista

Quer acabar com a saúde mental e emocional de um resenhista? Leia os nossos superconselhos para alcançar esse objetivo Eu sei, eu sei. Você, que é escritor, deve estar se…

Do título ao final, “Cada amanhecer me dá um soco”, de Andrei Ribas, é um acerto

Por que ler Cada amanhecer me dá um soco, de Andrei Ribas Com controle da forma e enredo bem amarrado, o autor entrega um livro resultado do trabalho apurado e íntimo com…

Ser professor vale a pena (pra quem?)

Há muitos anos, quando eu ainda estava decidindo que curso tentar no vestibular, mandei um e-mail a um professor do cursinho. Lá, havia em uma pergunta todas as dúvidas e angústias…

Honra ao mérito

Poucas coisas são tão produtivas – no sentido mais concretizador da palavra –  quanto o orgulho de si. Lembro até hoje quando ganhei diversas coisas: medalhas de natação, torneio de…

Me poupe

Sabe qual é o seu problema? Você reclama demais. Ninguém pode falar nada perto de você. Você não sabe mais ouvir piada. Não sabe mais conversar. Não aceita mais coisas…

Por que ainda amamos o Sr. Darcy?

O Sr. Darcy dos sonhos é, em grande parte, efeito de Lizzy Há mais de 200 anos, Jane Austen via ser publicado, sob a autoria de um discreto “by a…

Jane Austen não tem relação com o FEMINISMO? Como assim?

“A verdade é que existem muitas maneiras de ler uma obra literária, de fato, mas há limites mais restritos acerca do que é ou não feminismo” Quando li, semana passada,…

Como eu passei a ler e gostar de poesia

Durante minha vida de leitora, sempre tive uma querela com a poesia. Muita admiração, afinal nunca dei conta de escrevê-la, mas certa preguiça de lê-la de fato, de sentar, ler…

Como os personagens de Orgulho e Preconceito seriam no Tinder?

  Veja como seria passar uma cantada em gente como Lizzy Bennet, Jane Bennet ou Mr. Darcy, do romance Orgulho e Preconceito, de Jane Austen Honestamente, é difícil conseguir resistir ao anacronismo das brincadeiras “Imagine…

@homoliteratus on Instagram