Autor: Mario Filipe Cavalcanti

Advogado graduado pela Ufpe, escritor, leitor voraz e pianista retraído, é ainda algumas coisas mais e, sobretudo, absolutamente nada.

Retratos da resistência – Uma página sobre filosofia africana num país racista

“A academia é um dos mais importantes baluartes do racismo”, Wanderson Flor do Nascimento, professor de Filosofia da UnB, em entrevista ao Homo Literatus Manchetes como “jovem negra é acusada injustamente…

E o Michel Temer agora quer ser poeta

Nosso presidente, Temer, é poeta – pode isso? Dizem que o destino de Judas está relegado a todos os traidores. Contudo, por ora Michel Temer ainda goza de bastante proteção de…

Machado ontem, Machado hoje, Machado sempre

O que torna Machado de Assis um nome tão relevante mais de cem anos após a sua morte? Machado de Assis costumava dizer em suas crônicas que as polêmicas são…

Esconderijos do tempo: a poética das coisas pequenas, de Mario Quintana

O faz do poeta Mário Quintana tão amado e admirado ainda hoje? Não há dúvidas de que Mario Quintana é um dos maiores poetas brasileiros e, assim, da língua portuguesa….

O grande romance de Simenon: a França de Vichy, um anti-herói formidável e a neve sempre suja

Enquanto o protagonista se revela, a neve vai ficando cada vez mais suja Um escritor que ganhou lugar de destaque na minha biblioteca, junto a Robert Walser, Franz Kafka, Clarice…

O “quê” de kafkiano no Impeachment de Dilma

Franz Kafka, com seu romance O processo, faz o que podemos nomear como “prenúncio” do suplício de Dilma “Alguém devia ter caluniado Josef K., pois sem que ele tivesse feito qualquer…

Eduardo Lages e o ativismo literário na Avenida Paulista

Em um pequeno stand improvisado na Avenida Paulista, Eduardo Lages vende diariamente o seu livro Querido Jaime, enquanto escreve outro, que se chamará Enxame Voltaire, o pai da ironia, costumava dizer…

A nadificação do “eu” e o sarcasmo aniquilador na obra de Robert Walser

A literatura de Robert Walser é marcada pela apologia do nada Um dos escritores menos lidos pelo público brasileiro é, sem sombra de dúvidas, o suíço de língua alemã Robert…

O chamado de Lovecraft

Desconhecido em vida, Lovecraft se tornou conhecido graças aos amigos que publicaram sua obra Notei, um dia desses, que tanto o primeiro, quanto o último livro que comprei para ler…

Gogol, Stefan Zweig, um app na Play Store e o problema de emprestar livros

Sobre emprestar livros e aplicativos que prometem solucionar o problema Como o barbeiro Ivan Iákovlévitvh, passei uma vez por um acontecimento de inaudita estranheza quando, sentado à mesa da cozinha e…

@homoliteratus on Instagram