Sté Spengler

35 POSTS 6 COMENTÁRIOS
Graduanda em Letras (Português e Inglês), é educadora e metida a escritora. Apaixonada pela vida e pela palavra escrita, acredita, assim como Clarice Lispector, que escrever é também abençoar uma vida que não foi abençoada. - Críticas e sugestões: @stespengler

Jane Eyre: o reflexo da força de uma mulher

1
Pode-se encontrar facilmente duas grandes marcas em Jane Eyre, romance autobiográfico de Charlotte Brontë. A primeira é a vivacidade, a paixão que Jane tinha pela...

Fenomenalmente… Maya Angelou

1
Todo o meu trabalho é feito para dizer: você pode encontrar muitas derrotas, mas não deve ser derrotado. O que é ser uma mulher fenomenal? Você...

A revolta silenciosa de Charlotte Brontë

0
 O que faz um conto de fadas gótico sobre uma simples governanta ser tão natural e emocionante? Nenhum romance jamais compartilhou um ponto de vista...

Camões, Dinamene e Os Lusíadas – Escolhas

2
Com um tapa-olho que limitava sua visão da praia, o homem sentou-se na areia macia e, encarando o mar, libertou um suspiro rouco de...

7 Histórias que refletem o universo literário de O Rei Leão

1
Você vê essa imagem e a música do Elton John já começa a tocar na sua cabeça – In the ciiiircle of liiiiife!. Pois...

O original de Alice no País das Maravilhas

0
Conheça alguns dos originais de Alice no País das Maravilhas Em um dia de verão de 1862, um matemático da Universidade de Oxford chamado Charles Lutwidge...

Os monstros mais fantásticos da arte e da literatura

0
O monstro mais fantástico de toda a história ocidental só poderia ser o demônio no centro do inferno, do quadro tríptico de Hieronymus Bosch,...

Por trás das histórias: a verdadeira inspiração de Jane Austen

0
Ela queria escrever sobre o coração. E tendo isso como pano de fundo, destacou, com um sorriso, algumas verdades de sua época. Jane Austen...

De Stephen King a Johnny Depp – Escrever entre a razão...

5
Algumas janelas nunca deveriam ser abertas – é o que a capa do DVD alerta. Eu era adolescente quando assisti A janela secreta pela primeira...

Kafka e o abandono como ato de amor

0
Para que possamos compreender algo, é necessário conhecer bem esse algo - afinal, o que levou esse algo a ser o que é hoje?...