Walter Bach

Walter Bach
Nome
Walter Bach
Bio
Colaborador desde 2014 do Homo Literatus, incluindo tradução, revisão e redação; coeditor de junho de 2015 a agosto de 2018 Colaborei no portal A Escotilha, de Curitiba/PR, de 2015 a 2016.
Twitter
Facebook
Medium

Recent Post byWalter Bach

O lugar de escuta é o foco da sexta edição do Litercultura

Festival literário de Curitiba chega a sua sexta edição, focada no pensamento literário – dessa vez, no que o festival chama lugar de escuta O Litercultura chega a sua sexta edição em 2018! O festival curitibano levou à Curitiba várias vozes culturais desde sua primeira edição, em 2013. Entre elas autores internacionais – Alberto Manguel, […]

Rabudinhas e despudoradas: as mulheres de Giovana Madalosso

Rabudinhas, despudoradas e sobreviventes de tudo, as mulheres das ficções de Giovana Madalosso despertam várias interpretações As mulheres ficcionais da Giovana Madalosso são umas rabudinhas. Seus dois livros evidenciam isso: da seleta de contos A Teta Racional, publicada pela Grua em 2015, ao romance Tudo pode ser Roubado, publicado esse ano pela Todavia. Elas sobrevivem […]

Brutalidade em transição – Enterre seus Mortos, de Ana Paula Maia

Enterre seus Mortos mantém a unidade da voz autoral de Ana Pala Maia, e adiciona elementos à brutalidade que se tornou parte de sua produção Brutalidade é uma palavra fácil de associar à produção literária de Ana Paula Maia. Seus personagens são brutalizados pelo que os cerca, dos ofícios extenuantes às histórias pessoais de cada […]

O horror está entre “As coisas que perdemos no fogo”

Coletânea da argentina Mariana Enriquez usa o horror como forma de lidar com problemas internos, arriscando entre a mescla da representação do horror “real” com o imaginado e com o uso de ideias que podem soar clichês aos mais exigentes com o que se associa ao gênero O horror do fogo faz pouco caso da […]

A Ilha parece um testamento pessoal de Aldous Huxley

            A Ilha, última ficção de Aldous Huxley, traz algumas características de sua prosa. Considerando aspectos literários, é um livro mediano, que deve um pouco às publicações anteriores – embora seja mais fácil o ler como um testamento pessoal do autor. Pala é A Ilha perfeita. Afastada dos grandes centros […]

Kornél Esti e as narrativas de quem desconhecemos

Coletânea de Dezsö Kostoláyni centrada no personagem Kornél Esti, O Tradutor Cleptomaníaco tem um tom relaxado, cujo rigor mostra, em pedaços de sua voz autoral, como a gente poderia ouvir as histórias desse livro em qualquer lugar Kornél Esti é do nosso povo. Detetive involuntário, sabe de gente que já foi do nosso convívio, e […]

Daimon junto à porta evidencia a presença extra no cotidiano

Daimon junto à porta, seleta de contos de Nelson Rego, brinca com a ideia de uma presença extra junto aos personagens – e ela funciona como elemento de transição e também como incentivo para o que eles gostariam de fazer desde o começo Um daimon anda à espreita das pessoas, acompanhando seus cotidianos enquanto escolhe […]